O Plano de Hipotireoidismo Alcalino – Live Energizado

                                                                        

                                        

                                        
                                        
                                    

                                    

O hipotireoidismo é assustadoramente comum, mas raramente diagnosticado.

Se você está lutando com peso (e peso que simplesmente não mudará), fadiga, pensamentos nebulosos, dores, gripes e resfriados comuns, dor digestiva, refluxo, pele seca ou músculos fracos e incapacidade de recuperar – sua tireóide pode ser a causa…

… e seja peso, fadiga ou não, o problema não desaparecerá a menos que você cure a tireóide. Na verdade, isso só vai piorar.

Assim, no guia de hoje vou mostrar-lhe não só o que é a tiróide e hipotiroidismo – para que possa aprender mais sobre a natureza da besta – mas também plano para curar, nutrir e reparar este órgão absolutamente essencial.

Neste guia, você aprenderá:

  • As grandes informações que você precisa saber agora sobre o que é a sua tireóide e o que ela faz
  • O que você precisa olhar para entender se você tem um problema na tireóide
  • Exatamente o que fazer para reequilibrar e curar sua tireoide
  • A causa raiz do desequilíbrio tireoidiano (haverá algumas surpresas aqui
  • A VERDADE (baseada em evidências) sobre oxalato, nightshades, goitrogênios e anti-nutrientes e sua tireoide
  • O plano exato para que sua tiróide seja maravilhosa – para proporcionar níveis incríveis de saúde, energia e vitalidade … e de volta ao seu melhor corpo

As ações que lhe darei são simples, mas poderosas.

Eles estão enraizados nos dados científicos (como em tudo no meu site, tudo é baseado em evidências), e eu me concentro no 80/20 que lhe dará os maiores resultados o mais rápido possível com a menor quantidade de esforço necessário.

O 80/20 na aplicação aqui não é o estilo "coma bem 80% do tempo". O que eu estou falando com o 80/20 está em linha com o Princípio de Pareto, expandido ainda mais por Richard Koch e outros (incluindo Tim Ferriss, Perry Marshall e outros) que:

… em quase todas as áreas da vida e da natureza, e especialmente com sua saúde, 80% do resultado desejado virá de 20% de suas entradas e ações.

Portanto, vou me concentrar em dar a você esses 20%. Em vez de dizer-lhe tudo o que você pode fazer e deixar todos vocês atolados nos detalhes, vamos nos ater aos grandes detalhes que farão com que você tenha o maior impacto o mais rápido e sem esforço possível.

Então vamos entrar nisso

Qual é a sua tireóide?

A sua tireóide é uma glândula em forma de borboleta, que forma uma parte importante do seu sistema endócrino (o sistema de órgãos e glândulas que regula a produção de hormônios).

É especialmente importante porque produz os principais hormônios do metabolismo que estão acima e desempenham um papel no controle de praticamente todos os outros hormônios em seu corpo.

Em outras palavras, um desequilíbrio aqui pode ter consequências de longo alcance.

E de forma bastante assustadora, estima-se que até 40% das pessoas que vivem nos EUA têm função tireoidiana ineficaz (isto é, apenas 130 milhões de pessoas nos Estados Unidos – as estatísticas seriam semelhantes em outros lugares)

.

Mas quero que você saiba agora que podemos controlar isso e curar rapidamente a tireóide. E nós absolutamente precisamos.

A tireoide produz predominantemente três hormônios:

  1. T2: Diiodothyronine
  2. T3: triiodotironina
  3. T4: Tiroxina

Estes "hormônios principais" ajudam a controlar e regular as glândulas e órgãos em outras partes do seu sistema endócrino, e os outros hormônios que produzem, incluindo insulina, estrogênio, cortisol, testosterona e outros.

(Veremos como isso é importante em apenas um minuto quando falamos de insulina e cortisol – mas você verá rapidamente como e porque um desequilíbrio da tireóide pode ter efeitos tão prejudiciais em praticamente todas as áreas do seu corpo)

Em minha entrevista com a Dra. Sara Gottfried (lição exclusiva para meus membros do Acampamento Base Alcalino) ela explicou como o sistema endócrino / hormônios funcionam em uma analogia brilhante:

Pense na sua tireóide como um dos principais executivos do seu sistema endócrino. Quando está desequilibrado, o fluxo afeta todos os lugares do seu corpo.

E a tireóide pode estar desequilibrada de duas maneiras – então vamos entrar nisso e esclarecer uma das confusões mais comuns quando se trata da saúde da tireóide.

Hipotireoidismo vs Hiperteroidismo

Hipotireoidismo e hipertireoidismo são as duas condições que explicam como uma tireoide desequilibrada pode causar sintomas em todo o corpo.

A maneira simples de lembrá-los é HYPER, que significa hiperativo (metabolismo rápido, perda excessiva de peso) e HIPO significa hipoativo (metabolismo lento e lento, ganho de peso, fadiga, depressão)

O que é o HIPERTEROIDRO

?

Vamos começar com hipertireoidismo. Isto é, quando a glândula tireóide é hiperativa produzindo muito hormônio tireoidiano tiroxina (T4).

Normalmente, você pode ter ouvido falar disso como Doença de Grave, tendo nódulos na tireoide ou uma glândula tireoide inflamada (geralmente chamada de tireoidite).

Você é geneticamente predisposto?

É mais comum em mulheres e tende a funcionar em famílias. Se seus pais ou avós tiveram algum dos sintomas de hipertireoidismo listados abaixo, vale a pena investigar sua função tireoidiana, já que isso poderia ter sido passado para você como uma predisposição genética.

Sintomas do Hiperteroidismo

  • Um metabolismo super-rápido e uma incapacidade de ganhar peso
  • Perda de peso súbita inexplicável
  • Ossos frágeis
  • Problemas oculares
  • Fibrilação atrial
  • Cabelo fino e quebradiço
  • Ansiedade excessiva
  • Pele vermelha e com coceira
  • Movimentos intestinais excessivos e inexplicáveis ​​

Embora hoje não se trata de aprofundar o hipertireoidismo (estamos nos concentrando em hypo-hoje), é importante notar que há várias abordagens naturais para o hipertireoidismo que têm sido provadas para oferecer suporte significativo e melhora a sua função tireoidiana.

Olhando para uma dieta anti-inflamatória, rica em alimentos de formação alcalina pode fazer uma enorme diferença.

E então, o que é o hipotireoidismo

O hipotireoidismo é caracterizado por lentidão: ganho de peso, fadiga, metabolismo lento, fadiga mental, depressão e baixo humor. É o oposto do hipertireoidismo.

Ocorre quando a tireóide produz pouco hormônio da tireoide.

Reconhecer que você tem hipotireoidismo pode ser difícil porque os sintomas são vistos com frequência como uma "coisa" em si – as pessoas vêem o ganho de peso ou a letargia como o problema isoladamente, não pensam no que poderia estar causando isto. Eles começam a consumir menos calorias, pensando que isso vai ajudá-los a perder peso (por exemplo) quando na verdade não fará absolutamente nada, exceto talvez piorar seu desequilíbrio na tireoide (veja meu guia de contagem de calorias e perda de peso aqui)

.

O hipotireoidismo é freqüentemente diagnosticado erroneamente ou perdido porque os testes que a maioria dos médicos usa podem ser limitados em seus dados (veja abaixo uma lista mais completa de testes a serem solicitados apenas com TSH).

É melhor sintonizar o seu corpo – se você está enfrentando um ou mais dos seguintes, você deve cavar um pouco mais fundo ou simplesmente iniciar meu plano alcalino de equilíbrio da tireoide (abaixo):

  • Ganho de peso (e dificuldade em perder peso):
  • Fadiga (física e mental)
  • Letargia e depressão
  • Pele áspera e rachada
  • Queda de cabelo
  • Infertilidade
  • Problemas digestivos, especialmente obstipação
  • Frequentes resfriados e gripes e imunidade geralmente reduzida
  • Mudanças súbitas e inexplicáveis ​​no ciclo menstrual
  • … e mais

Estes são os principais, mais comuns e diretos sintomas de hipotireoidismo – sendo os mais frequentemente experimentados ganho de peso e fadiga. Se você tiver um desses outros sintomas, eu recomendo fortemente que você continue lendo.

A ponta do iceberg? Como o desequilíbrio da tireóide pode jogar fora todo o seu corpo:

Como já sugeri, os sintomas que você está experimentando "atribuindo" a um desequilíbrio da tireoide (hipo ou hiper) podem ser apenas a ponta do iceberg. Quando nosso corpo tem um desequilíbrio em qualquer parte do que chamo de nossos "Cinco Sistemas Mestres", é quase certo que ele causou um desequilíbrio em outros lugares, com seus próprios sintomas e desafios.

Estes Cinco sistemas principais são:

– Sistema endócrino (como estamos falando aqui)
– Sistema Digestivo
– Sistema Imunológico
– Sistema de desintoxicação ou, claro
– Sistema de Equilíbrio de pH

Eu explico isso profundamente em meu próximo livro, The Alkaline Reset Cleanse (clique aqui para ir para a lista de espera de pré-venda [hint: lots of bonuses if you pre-order]), e eu dou ótimos exemplos lá.

Uma que já abordamos é o impacto do hipotireoidismo em seu peso – se sua tireoide não está produzindo T4 suficiente, seu corpo criará células de gordura viscerais, diminuirá seu metabolismo e então se agarrará a essas células de gordura. pela vida querida. Nota: o ganho de peso é apenas o começo.

Em primeiro lugar, o excesso de gordura visceral inibe a capacidade do corpo de regular o açúcar no sangue, e o corpo precisa produzir mais e mais insulina para manter o açúcar no sangue sob controle (levando à resistência à insulina e ao pâncreas, que agora começa perder a capacidade de utilizar gordura como combustível – mais ganho de peso).

A subida e descida contínua da insulina e dos níveis de açúcar no sangue aumenta e aumenta quanto mais acontece – maiores, maiores – e quando o nível de açúcar no sangue também diminui as supra-renais produzem cortisol para ajudar a levar o açúcar no sangue backup.

Grande problema. O cortisol cronicamente elevado agora tem seu próprio impacto.

Em primeiro lugar, isso estressa suas glândulas supra-renais, levando à fadiga adrenal (que elimina o desejo do corpo de queimar gordura ainda mais) e quando as glândulas supra-renais estão comprometidas, elas não produzem a quantidade correta de hormônios estimulantes da tireoide, levando a hipotireoidismo mais profundo . Um ciclo vicioso começou.

Em segundo lugar, quando nosso cortisol é elevado, isso faz com que o corpo entre em um estado de acidose de baixo grau (1) (e como um ciclo vicioso novamente, acidose induzida por dieta crónica faz com que o corpo produza excesso de cortisol também) ) e o cortisol elevado é um dos precursores mais comuns de praticamente todos os cânceres.

E a acidose de baixo grau que o cortisol elevado produz?

Bem, poderíamos estar aqui o dia todo com isso, mas digamos que a acidose crônica está implicada no câncer (3), doença cardíaca / hipertensão (4), diabetes (5), doença renal crônica (6), osteoporose ( 7) e muito mais

Poderíamos continuar e continuar aqui. O ponto é que um desequilíbrio pode facilmente causar outro e criar loops de feedback que causam o efeito do ciclo vicioso. As coisas realmente podem sair do controle …

Mas, felizmente, você está aqui para que possamos acabar com isso!

O que causa o hipotireoidismo

Se você ler a caixa acima, verá que os sintomas do hipotireoidismo podem causar mais hipotireoidismo, mas por onde começar?

Há uma obsessão pelo iodo nos "círculos da tiróide". Se você fizer uma pesquisa no Google por hipotireoidismo agora, eu apostaria que o iodo é a palavra que aparece com mais frequência. Mas isso não explica nem perto de todos os casos.

Embora possa ser uma influência razoavelmente frequente, não é o quadro total, e o exagero excessivo do impacto dos chamados "alimentos com alta concentração de compostos" faz com que a maioria das pessoas perca o quadro geral (esclareceremos a situação). mexer com esses alimentos em breve)

Eu listei as causas mais comuns de hipotireoidismo abaixo. Você verá que alguns estão interligados, e você descobrirá no meu Plano de Hipotireoidismo Alcalino abaixo, muitas das recomendações que eu faço também se sobrepõem, para que possamos curar rapidamente, naturalmente e com um número menor de ações simples que você pode ser esperando

Causas do hipotireoidismo:

1. Condições auto-imunes com base na inflamação:

Facilmente, a causa mais frequente de hipotireoidismo é a inflamação, que resulta em uma condição conhecida como tireoidite de Hashimoto, também conhecida como tireoidite linfocítica crônica ou tireoidite autoimune. É um resultado da inflamação excessiva no corpo, que causa uma enorme desintegração no sistema imunológico, desencadeando um distúrbio endócrino auto-imune.

De modo geral, quando você tem um "distúrbio autoimune", isso significa que seu corpo começa a atacar a si próprio produzindo anticorpos em excesso, quando não são necessários, produzindo anticorpos para atacar as células que considera invasores, mas na verdade estar lá. No caso de Hashimoto, seu corpo produz anticorpos que tentam destruir sua glândula tireóide. (8)

Seu sistema imunológico acredita que as células da tireoide não devem estar lá e tenta destruí-las e eliminá-las.

E enquanto a resposta inflamatória anormal é uma causa de doenças auto-imunes como a de Hashimoto, Hashimoto cria, na verdade, mais inflamação, criando um ciclo vicioso.

Precisamos cortar o ciclo, e sua dieta é de longe a ferramenta mais poderosa que você tem disponível para fazer isso (o armário de remédios da Mãe Natureza!). Vamos seguir os passos exatos de como você pode reverter a dieta de Hashimoto em apenas um minuto.

2. Uma dieta ácida:

E com isso dito, enquanto sua dieta pode prevenir e reverter o hipotireoidismo, também pode ser a causa maior. Uma dieta rica em alimentos formadores de ácido cria o ambiente perfeito para o desequilíbrio da tiróide, tanto com hipo e hipertiroidismo. Quando nós consumimos muitos alimentos ácidos formadores (você pode baixar meus gráficos de alimentos ácidos / alcalinos aqui e aprender sobre os Sete Alimentos Mais Ácidos aqui) colocamos nosso corpo sob um estado de constante estresse, forçando o corpo a constantemente ter que lutar para neutralizar a acidez e trazer o nosso pH (mais revelador do nosso sangue) para um pH alcalino de cerca de 7.365.

[Nota:vocêpodeaprendermaissobreadietaalcalinaecomo o equilíbrio ácido / alcalino funciona no corpo aqui.]

A partir do momento em que esses alimentos formadores de ácido entram em nossas bocas, isso coloca o sistema digestivo sob estresse. Eles criam um enorme desequilíbrio com os volumes de ácido clorídrico ao bicarbonato de sódio produzido através da digestão, criando o ambiente perfeito para o reflexo, o crescimento de cândida, a disbiose do intestino e o intestino gotejante (o qual vamos ver em seguida).

E esta é apenas a primeira onda de dano que uma dieta excessivamente ácida cria, e cada uma delas pode afetar negativamente o desempenho da tireóide.

Além disso (e estamos coçando a superfície aqui do impacto negativo de uma dieta ácida na tireóide), um dos resultados mais diretamente prejudiciais dessa acidose induzida por dieta (ou carga de ácido dietético líquido) é que a acidose crônica de baixo grau, causada por uma dieta ácida, aumenta a produção de cortisol.

Já falamos sobre isso, mas vale a pena repetir, dada a importância da função da glândula supra-renal e pituitária na função tireoidiana, e o fato de que o cortisol cronicamente elevado desintegra efetivamente as supra-renais e a hipófise.

E, além disso, acabamos de abordar os problemas causados ​​pela inflamação, mas o ácido é uma das principais causas diretas de inflamação no corpo também!

Eu poderia (e provavelmente vou) criar um guia completo mostrando como uma dieta ácida prejudica a tireóide, mas por enquanto vamos mantê-la simples: são más notícias. Agora, não é o estranho alimento que forma o ácido. Não estamos nos preocupando com cada coisinha que você come, e um mimo, uma taça de vinho, um jantar com amigos não será o fim do mundo. É o bombardeio constante, durante todo o dia, todos os dias, que mantém o corpo em estado de emergência 24 horas por dia, 7 dias por semana, que causa o dano.

Se você estiver com uma dieta ácida, sua tireóide terá problemas.

3. Deficiência de iodo e selênio:

A deficiência de iodo é o resultado do hipotiroidismo. Supõe-se que seja a única razão pela qual a tireóide de alguém seria lenta. Se você pesquisar o hipotireoidismo ou falar com alguém que tenha contato com seu médico, a grande maioria mencionará suplementos de iodo … e evitará vegetais crucíferos (mais sobre esse mito em breve).

Agora, eu absolutamente não estou dizendo que a deficiência de iodo não é importante, é realmente muito importante. Eu estou dizendo que não é a única influência . Se você é gravemente deficiente em iodo, isso prejudicaria gravemente a função da tiróide (assim como a pele, o pâncreas, as glândulas salivares, o cérebro, o estômago e muito mais).

É importante notar que a questão aqui não é consumir iodo suficiente, é incrivelmente fácil obter o suficiente todos os dias sem sequer pensar nisso (cerca de 140mcg).

A questão é com a dieta moderna que faz com que o iodo não esteja disponível no corpo. Grãos contendo glúten, água da torneira fluoretada, alimentos armazenados em plásticos, pesticidas, bromo, fenilalanina, aditivos alimentares, adoçantes artificiais, toxinas em produtos de limpeza e beleza – tudo isso prejudica a capacidade do corpo de usar e armazenar iodo.

Se você tiver alguma preocupação, mesmo se você estiver consumindo uma dieta variada (mesmo vegana, não um problema, há bastante iodo em frutas, verduras e feijões e, claro, vegetais do mar e leite de nozes), você pode suplementar com iodo, ou apenas ocasionalmente usar algumas algas, nori flocos / folhas, alga marinha etc na culinária, ou polvilhado durante as refeições, em sopas, saladas, etc

O selênio é, na verdade, tão importante quanto o iodo, e muitas vezes negligenciado. A tireóide é o órgão com maior quantidade de selênio por grama de tecido – ele precisa mais do que em qualquer outro lugar do corpo! Sua tireóide usa selênio para o metabolismo dos hormônios da tireóide. Sem isso, você está recheado (9)

A deficiência de selênio é mais comumente atribuída à doença de Graves (uma manifestação de hipertireoidismo), mas também pode desempenhar um papel significativo no hipotireoidismo (10).

Há muitas fontes de selênio de formação alcalina, incluindo espinafre, lentilha, castanha-do-pará, sementes de girassol, cajus, aveia e muito mais.

4. Leaky Gut:

Aqui é onde o eixo da inflamação e autoimune ataca novamente! Inflamação causada por más escolhas alimentares (especialmente glúten *, alimentos processados, açúcar, proteína animal excessiva e laticínios) causa incrivelmente desequilíbrio e danos no intestino. Quando há inflamação intestinal excessiva, o revestimento intestinal é suscetível a pequenas lágrimas, criando pequenas aberturas que permitem que pequenas partículas de alimento não digerido voltem a entrar na corrente sanguínea, desencadeando repetidamente uma resposta imune e causando rapidamente o aparecimento de condições autoimunes (como Hashimoto, mas também artrite reumatóide, lúpus, Grave, diabetes tipo 1, esclerose múltipla e muito mais)

* glúten recebe uma menção especial porque provavelmente é tão prejudicial para o revestimento intestinal como todos os outros alimentos ácidos combinados. O glúten (em particular a gliadina do glúten) estimula a liberação de uma molécula recém-descoberta, chamada "zonulina", no corpo.

A zonulina é uma molécula que abre os espaços entre as células do revestimento intestinal. Em um ambiente intestinal normal, essa é uma função grande e necessária – permite que os nutrientes entrem e saiam do intestino. No entanto, quando a zonulina é repetidamente desencadeada (principalmente pelo consumo de glúten), os espaços entre as células se abrem em demasia, permitindo que moléculas maiores de proteínas entrem na corrente sanguínea, onde uma reação imunológica pode ocorrer (11).

Você precisa sair do glúten!

5. Estresse

A maioria das pessoas ainda pensa no estresse apenas como emoção e como uma emoção sobre a qual não tem controle. Mas nada poderia estar mais longe da verdade em ambos os aspectos.

Em primeiro lugar, o estresse não é apenas uma emoção, é uma reação física em seu corpo. É a sua resposta de "luta ou fuga" e você precisa reconhecê-la como uma das variáveis ​​mais importantes em sua jornada de saúde. Você precisa entender e aceitar o quão influente é seu bem-estar. Se você estiver cansado, tiver problemas digestivos, tiver problemas para dormir, engordar facilmente e não conseguir mudá-lo, ou estiver abaixo do peso, se não se recuperar bem do exercício, se tiver tosses e resfriados freqüentes e, de fato, se tem lentidão na função da tireóide … o estresse é uma grande influência aqui.

Em segundo lugar, você tem que aceitar que o estresse é algo que você tem controle sobre. Você tentou separar situações estressantes (que você não pode controlar) e uma reação estressante (que você pode controlar). Você não pode controlar tudo o que acontece em sua vida, mas você pode influenciar como você reage a isso. É na sua reação que sua luta ou fuga é desencadeada ak.a. níveis de cortisol rapidamente e dramaticamente disparam.

Certamente não sou perfeito nesta área (muito em andamento), mas descobri que a meditação da atenção plena, mesmo que seja apenas dez minutos por dia, cria uma diferença dramática . Eu pessoalmente uso o aplicativo headpiece (no momento em que escrevo eles ainda têm uma avaliação gratuita de 10 dias aqui), mas ouvi coisas maravilhosas sobre a Meditação de Carvalho de Kevin Rose (grátis, no momento da escrita) e planejo tentar isso também.

Novamente – você não pode influenciar as coisas que ocorrem no seu dia, mas você pode controlar muito bem como você responde. Isso pode ser um trocador de jogo completo.

Como a hidratação, geralmente deixamos o sono ao acaso, onde a qualidade e a quantidade do sono são devidas às circunstâncias. Você consegue o máximo que pode e apenas lida com a fadiga se não conseguir. Isso precisa mudar. Você deve fazer um bom descanso adequado, uma prioridade. É uma necessidade absoluta para a sua saúde na tiróide.

Os ritmos circadianos e a qualidade do sono influenciam a glândula pituitária a liberar a tirotropina (TSH), o hormônio que regula a liberação e o volume de seus hormônios tireoidianos, tiroxina (T4) e triiodotironina (T3). O sono ruim leva a uma função tireoidiana ruim, é tão simples quanto isso. (12)

Você precisa levar isso a sério. Estudos mostraram que o mau sono (particularmente em mulheres) leva a um risco muito maior de câncer de tireóide . (13)

O sono precário também pode levar a uma fraca resposta imunológica, a má digestão e o sono são imperativos para eliminar toxinas degenerativas do cérebro.

É um ciclo vicioso, pois o hipotireoidismo pode levar a um sono ruim … e o sono insuficiente pode levar ao hipotireoidismo, mas é algo em que você precisa colocar energia e concentração para interromper o ciclo e ajudar seu corpo a se recuperar. ]

O Plano de Hipotireoidismo Alcalino: Como tratar naturalmente o hipertiroidismo

Plano de Hipotireoidismo Alcalino: O Que Evitar

Gluten

O glúten e a saúde em declínio andam de mãos dadas. Está no centro de dezenas de sintomas, doenças e enfermidades e é provavelmente a principal razão dietética da inflamação, do desequilíbrio auto-imune e endócrino … e, portanto, do hipotireoidismo.

Recomendo vivamente que todos removam o glúten da sua dieta o mais rapidamente possível e, especialmente, se estiver com hipotiroidismo ou qualquer outra doença auto-imune, inflamatória ou digestiva.

É importante reconhecer que, na dieta da maioria das pessoas, o trigo representa 90% do consumo de glúten, com alimentos como pão, massas, doces, cereais e assim por diante. Temos que mudar isso, e felizmente é muito mais fácil do que a maioria das pessoas pensa.

O glúten aumenta o seu nível de açúcar no sangue, causando enormes volumes de inflamação, forçando o pâncreas a regular as necessidades de insulina, aumentando a produção de cortisol e, portanto, estressa as glândulas supra-renais, estimulando a produção de excesso de gordura visceral. inflamação), alimenta o crescimento excessivo de candida, aumenta a produção de zonulina levando a intestino gotejante (veja acima) e muito mais.

É só ir embora.

Há alguns mal-entendidos em relação ao glúten e ao trigo, então vamos cobrir os que estão aqui:

  • Não é só trigo, são todos os grãos que contêm glúten: espelta, centeio, cevada e assim por diante…
  • E não são TODOS os grãos, apenas aqueles que contêm glúten, então não trigo, amaranto, quinoa, chia, etc.
  • E não aveia! A aveia é muitas vezes considerada como contendo glúten principalmente porque você pode comprar "aveia sem glúten" … Eu entendo a confusão! A razão pela qual há aveia livre de glúten, é porque a aveia é frequentemente moída em fábricas e instalações que também moer trigo e soletrado, etc, para que eles não podem ser classificados como sem glúten para aqueles que têm sensibilidade específica ao glúten diagnosticada. Um produto não pode ser classificado como "isento de glúten", a menos que esteja em um ambiente completamente limpo e algumas de aveia, e outras não. Mas o ponto importante aqui é que a aveia não contém glúten.
  • Pães Brotados… alguns são bons, outros não. Tenha cuidado com isso! Os grãos germinados não contêm glúten naturalmente, mas algumas empresas adicionam glúten de volta aos pães de grãos germinados para aumentar a "massa" do pão. Isso basicamente os torna tão ruins quanto o pão normal

Se você puder encontrar swaps para lanches e refeições à base de pão, use cereais e aveia sem glúten e use massas sem glúten em vez de massas comuns (ou, melhor ainda, zoodles ), você já eliminou 80% do glúten da sua dieta. E os resultados valem a pena.

Açúcar

O açúcar alimenta inflamações, acidez, imabalance digestivo, auto-imune, ganho de peso, desequilíbrio hormonal e muito mais como nenhum outro alimento na Terra. Por décadas nós fomos levados a acreditar que gordura era o diabo em nossa dieta. Acontece que isso não é verdade! Tem sido açúcar o tempo todo

Não vou ficar atolado na política, mas a pesquisa é clara, o açúcar é a causa básica de praticamente todas as condições de saúde que conhecemos – seja como causa raiz ou como influência pesada, exacerbando qualquer problema que surja.

É importante salientar aqui que, como muitos desses alimentos, estou lhe dizendo para evitar – 90% de sua existência em nossa dieta é em alimentos processados ​​e embalados. Se você eliminar os alimentos processados, eliminará em grande parte tanto o glúten quanto o açúcar.

Também é importante ressaltar que a frutose é a mais prejudicial de todos os açúcares e é responsável por mais inflamação em nosso corpo do que quase qualquer outra coisa. Agora, eu não estou dizendo frutas é ruim, eu estou dizendo frutose é.

Consumir 1-2 pedaços de frutas frescas por dia é totalmente fino e saudável, mas você precisa ter cuidado com a ingestão total de frutose (nos EUA isso é em grande parte de xarope de milho rico em frutose, encontrado em muitos produtos embalados. ). Eu explico muito mais sobre frutas aqui (e porque você nunca deve suco de frutas), e eu corro você através das alternativas de açúcar mais saudáveis ​​aqui.

Mas tenha em mente que 30-40g de açúcar é o limite máximo a consumir a cada dia, idealmente abaixo de 25g, mas mais de 50% dos EUA consomem mais de 200g por dia. É incrível pensar nisso. CADA DIA!

Se você puder manter sua ingestão total de açúcar abaixo de 25g por dia, estará dando ao seu corpo um presente tão grande e realmente começará a notar o benefício imediatamente.

Laticínios

De acordo com Dr Izabella Wentzo leite é o segundo maior gatilho do glúten de Hashimoto. E quando você realmente considera a lógica disso, é fácil entender por quê. Não só o leite é um alimento fortemente ácido, mas o leite de vaca contém proteínas diferentes das proteínas encontradas no leite humano. Uma pessoa com intestino gotejante, que, como já discutimos, praticamente sempre se apresenta com autoimune e hipotireoidismo que reconhecerá essas proteínas como um invasor estranho e produzirá anticorpos para atacar as proteínas do leite de vaca.

Wentz explica que:

“esses anticorpos são mediados pelo ramo IgG do sistema imune (ramo diferente do que faz alergias alimentares) – isso é conhecido como uma reação de hipersensibilidade tardia do tipo IV. Adivinha que outros tipos de anticorpos são mediados por IgG? Anticorpos tiroidianos, mais especificamente, anticorpos TPO e TG. Hashimoto também é considerado hipersensibilidade retardada do tipo IV. ”

Other Acid-Forming Foods

This could be a large category of foods, but I am all about the 80/20 – whereby the 20% of actions will give you 80% of the results, so alongside gluten, dairy and sugarthese are the most acid-forming foods you should avoid in order to support your thyroid and help it to heal:

  • Artificial Sweeteners/Diet Sodas
  • Ice Cream
  • Hydrogenated/Partially Hydrogenated Fats
  • MSG & other Artificial Flavours/Additives/Colours and ‘Natural Flavours’

I know it might feel at this stage like there’s nothing left to eat! But please don’t worry, there are plenty of foods you can still focus on, and while I’m saying avoid all of these, you don’t need to be perfect (unless you want to be), and you can take it one step at a time.

The reality is that if you remove processed, packaged foods from your diet, you’re automatically removing the vast majority of these foods! As the saying goes, just JERF – Just Eat Real Foods!

Tap Water

Tap water is full of toxins that are known endocrine disruptors. In 2013, the Environmental Working Group (EWG) published a report on their analysis of nearly 20 million drinking water tests conducted by water suppliers nationwide between 2004 and 2009.

The study revealed hundreds of pollutants in U.S. tap water.

They detected 316 contaminants in water supplied to the public, including 204 chemicals, 97 agricultural pollutants, 86 contaminants linked to pollution and treatment plants and 42 pollutants that leached from pipes and storage tanks. It’s disgusting, but not too surprising.

According to the EWG, despite the potential health risks, there is no legal limit on these chemicals—no matter how high the concentrations—in drinking water. Among them, 168 have been linked to cancer, fifty-four to reproductive toxicity, sixty-seven to developmental toxicity and thirty-five to immune system damage.

  • Bromochloroacetic acid is a tap water disinfection byproduct found in the water supplied to forty million consumers. It induces gene mutations and is associated with damage to DNA.
  • Perchlorate is a rocket fuel ingredient, toxic to the thyroid gland, and found in water provided to twenty-six million people.
  • Methyl tert-butyl ether (MTBE) is a gasoline additive and groundwater pollutant scheduled to be phased out nationwide, found in twelve million people’s supply. It is associated with liver and kidney damage and nervous system effects.
  • Di-n-butylphthalate, a chemical from a group of industrial plasticizers called phthalates, was found in water used by five million people. Phthalates have been linked to birth defects and reproductive toxicity.

And what of the “regulated” toxins in tap water? The most damaging toxins are not being kept below safe standards. For example, trihalomethanes have been linked to a range of health problems including bladder cancer, colon and rectal cancer, birth defects, low birth weight and miscarriage and are still present in tap water in frightening levels.

And then there is fluoride…

According to a 500-page scientific review, fluoride is an endocrine disruptor that can affect your bones, brain, thyroid gland, pineal gland and blood sugar levels (15). Thirty-four human studies and over 100 animal studies link fluoride to brain damage. It can lower the IQ in children (16). It’s just terrible. I’m not sure how this can happen in our modern world, that countries as developed and smart as the UK, U.S. and Australia could continue a practice this imperils the health of the entire population.

Bromine

This is one not many people will have heard of, but it’s a very important one – you will want to look for and eliminate bromine from your life. Bromines are one of the most dangerous and common endocrine (hormone) disruptors in our food supply. It is especially tricky for the thyroid because it competes with the natural processes in your body that are used in the thyroid gland to capture and utilise iodine. Again, as we discussed earlier, it’s not necessarily the volume of iodine in our diet that is the problem, it’s our diet and lifestyle choices leading to the iodine we are consuming not reaching the places it’s meant to go!

Eliminating bromine entirely can be tricky, but we can certainly reduce the amount we’re exposed to dramatically by removing the following from our life:

  1. Soft drinks
  2. Baked goods and flours
  3. Foods stored in plastics
  4. Pesticides as much as possible (see the EWG’s Clean Fifteen & Dirty Dozen)
  5. OTC Medications as much as possible particularly nasal sprays
  6. Non-organic/natural fibre mattresses, fabrics, carpets, upholstery etc

The more you can get these bromines out of your life, the more your body will be able to absorb and use iodine.

Alkaline Hypothyroidism Plan: What to Eat

Eliminating sugar, gluten, processed foods, dairy and other acid-forming foods, as well as looking at the sources of toxins in your life – the fluoride, bromine as well as other toxins in household cleaning products, shampoos etc. will give your thyroid (and your whole body) a huge break. It will be an incredible relief not to have to keep fighting fire every day.

And your body is amazing. I want you to know and remember this: your body is amazing. It has the knowledge and power and ability to heal, regenerate and rebuild. It just needs to be nourished, it needs you to give it the tools to get this work done. And if you fuel it, your body will not only repair, but it will thrive.

Here’s where you need to focus your efforts, and I promise you, if you focus on eliminating (as much as possible) the above, and adding in these foods daily, you will feel like a brand-new person very quickly. Your energy will begin to grow, your sleep will improve, your skin will tighten and glow, your mental energy will be consistent and focused and most of all – your confidence in your body will return.

Let’s get into it:

Greens Greens Greens:

Goes without saying, but still so few people get enough greens on a daily basis. They say aim for ‘Five-a-Day’, but really it should be five serves of GREENS per day!

Spinach, kale, watercress, rocket/arugula, cabbage, bok choi, beet greens, silverbeet/chard, broccoli, coriander/cilantro, parsley, lettuce, celery, cucumber…

These should be in your diet in abundance if you want to help heal your thyroid. Rich in chlorophyll, omega 3, protein, fibre, a huge range of vitamins and minerals, free-radical scavenging antioxidants, alkalising and anti-inflammatory nutrients – greens (and especially the leafy ones) are without question the healthiest foods on Earth.

I would absolutely LOVE to see everyone consuming at least five serves of greens every day. If you can do this your life will change forever. And the easiest way to do this is with a green juice or smoothie.

If you can get a green juice or green smoothie (fruit-free, as mentioned earlier) every day your health will soar. Just doing this each day will make a wonderful difference to your life.

Here’s a couple of my recipes to get you started that are specifically targeted at getting thyroid-healing nutrients into your body:

1. The Hypothyroidism Rebalance Juice
2. The Alkaline Thyroid Restoring Smoothie

[again, if you’re worried about some of the cruciferous vegetables & thyroid/goitrogen issue, see below, we’ll get to this.]

Turmeric & Ginger

These delicious spices contain some of the most anti-inflammatory compounds on Earth. The curcumin in the turmeric and the gingerols in the ginger will fight inflammation like nothing else. Proven to be as powerful as most, if not all anti-inflammatory OTC drugs (as well as proven to be more powerful than 14 other drugs http://www.greenmedinfo.com/blog/science-confirms-turmeric-effective-14-drugs) they will get to work healing and soothing your body, from top to bottom.

As we’ve discovered, inflammation is both a cause of hypothyroidism and a symptom, and we need to address it.

My suggestion is to get fresh whenever possible (if you don’t think you can buy it locally, check amazon) but it’s also great to have powdered as a back up. BUT as a warning, always buy organic powdered herbs and spices. The non-organic stuff has been through a process called irridation – which is basically the reason why it has a shelf life longer than your life! Irridation is bad news.

As Vani put’s it here:

Food irradiation is the process of using radiation to kill bacteria and other contaminants. But while radiation is used to reduce bacteria in the spices we are consuming, the finished product has decreased levels of vitamins and natural enzymes. Irradiation changes the chemical composition of a spice, potentially creating toxic, carcinogenic by-products in the food and increasing our exposure to free radicals. Free radicals cause aging and disease – something we want to avoid at all costs!

Aim to get 1cm of turmeric and ginger (fresh) per day, or 1tsp of dried.

Healthy Fats

Omega 3 and the saturated fats from coconut are so essential for your endocrine system, to remove inflammation and acidity, to improve the function of your brain, to lower cholesterol and protect your heart and so much more. And yep, specifically for your thyroid you just have to have these essential fats.

Coconut oil is absolutely essential for your health and you should be getting it daily. Please don’t believe the recent industry-sponsored, research-poor, hype about coconut oil being unhealthy – it’s absolute nonsense. (See excellent posts by MercolaStrength Sensei and Ty Bollinger). It gives you a rich source of the medium-chain fatty acids: caprylic acid, lauric acid and capric acid. These fatty acids are wonderfully beneficial for you metabolism, energy production, brain health, eye health, digestive balance and your thyroid.

Research has proven it to reduce inflammation, boost your immune system, support brain function and memory, reduce cardiovascular risk and stabilize blood sugar levels.

Aim to get 1/2 – 1tbsp of coconut oil a day – straight from the spoon, in cooking (it’s safe to cook with), in your smoothies or oats or however else you can imagine it!

And the omega-3 fatty acids are perhaps even more essential for hormone balance and thyroid function – and so many people are chronically deficient! When it comes to your thyroid, the important extra factor is balancing your omega 3 to omega 6 intake. Most people are getting miles too much omega 6.

We should have a ratio of omega 3-6 of about 1:1 (i.e. the same of both), and therapeutically a ratio of 3:1 or more of omega 3 to omega 6.

But guess what the ratio is in most developed countries? Remember it should be 1:1, and it is actually……wait for it……1:16!

One-to-SIXTEEN! (17)

This imbalance is causing incredible stress to your body, and we need to switch this around.

Thankfully making a big impact on this can be quite quick and easy, and here’s what I suggest:

Step One:Swap vegetable (sunflower/canola etc) oils in your cooking for coconut oil
Step Two: After cooking, dress all of your foods (vegetables, salads etc.) in flax oil, olive oil and avocado oil (my preferred mix is 50% flax, 30% avocado and 20% olive – I find this gives the best flavour and a strong ratio of omega 3 to 6)

That alone will make a huge difference.

You should be aiming to get 2-3 tablespoons of omega 3 per day from a variety of sources, so include lots of avocado, nuts, seeds, leafy greens (yes, they’re a great source of omega 3!). And if you eat fish, include salmon or trout twice per week. Try to avoid tuna, swordfish and sea bass unless you can be certain that it is low-mercury https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20633905.

[Note:duetotheimportanceofomega3andhowmanypeoplearedeficientIalsorecommendsupplementingwithomega3–see my supplement recommendations here].

Filtered, Clean Water

Proper hydration, like greens, should go without saying, but sadly the vast majority of people are chronically dehydrated. Proper hydration will re-energize you mentally and physically like nothing else. It helps support your digestive function, remove cravings for sugar and carb-rich foods, boosts immunity, helps clear toxins from the body, supports the liver and kidney function, helps create new healthy red blood cells – in fact probably every function in the body is impacted by your hydration levels.
Specifically when it comes to your thyroid, dehydration can be a huge issue affecting you in multiple ways:

  • Dehydration causes histamine levels to rise – increasing and irritating many of the symptoms hypothyroidism creates such as high blood pressure, sleep issues, anxiety, stress, headaches and so on
  • Dehydration alters blood cell and plasma concentrations which affects the circulation of T3 and T4.
  • Dehydration can cause an increase in cortisol production stressing the adrenals and therefore the production of TSH, further impacting the thyroid

You should be aiming to consume between 2-4 litres of clean, filtered (no fluoride) water each day. You can include vegetable juices and smoothies, herbal teas and so on in this count. Don’t worry if you’re currently nowhere near that level, you can increase it a little bit every few days until you hit your target.

Fibre-Rich Foods

Most people with hypothyroidism also have digestive imbalance too, so you should aim to consume 40g of fibre per day, from a variety of sources. I’ve included psyllium husks in the supplements guide below, and this is a must-do! By including lots of greens you’ll also be getting a lot of fibre, but also aim to include a wide range of vegetables, low(er)-sugar fruits like berries, nuts and seeds, lentils, beans, pulses, sprouted breads (gluten free) and so on.

Seaweed

And finally, as a little add at the end, getting a semi-regular dose of seaweed into your diet is a smart move to keep that iodine topped up. As we’ve talked about, if you’re eating well and avoiding those endocrine-disrupting foods and chemicals then your body will be able to utilise the iodine already in your diet and you’re more thank likely getting more than enough. Fixing the issues that are preventing iodine use and absorption is a hundred-times more beneficial than simply just trying to overpower the issues by eating tons more iodine.

However, a little top up now and then absolutely does not hurt and could be a needle-mover for you. My recommendation is to have a little every week as part of your diet including kelp, nori and wakame. The simplest way is often to simply buy some dried nori sheets and just shred or tear into salads. It adds a wonderful texture and flavour.

The TRUTH About Cruciferous Vegetables: How, all of a sudden is kale bad for you?

It’s frustrating seeing the recent articles claiming that anyone and everyone should now suddenly be avoiding cruciferous vegetables like kale and broccoli.

The logic as to how or why they are making these claims about cruciferous vegetables is super fuzzy and is scientifically flawed beyond belief.

I want to make this clear: cruciferous vegetables are absolutely ridiculously good for you – they are alkaline, antioxidant rich, proven-cancer fighters that contain an abundance of nutrients that are SO important for your thyroid health – as well as the rest of your endocrine system.

So why then are people saying to avoid them?

The fuzzy logic is because cruciferous vegetables such as kale, boy choi, broccoli, brussels sprouts, cabbage, watercress, arugula – all of the foods I eat a TON of – contain a substances that are goitrogenic. And substances that cause a goitrogenic reaction can inhibit iodine from reaching your thyroid – and the thyroid absolutely needs iodine for proper functioning.

So you can see a dotted line here…and this is where the kale naysayers are coming from…

Goitrogenic foods inhibit iodine – thyroid needs iodine.

But if you peel even one tiny layer back – you’ll see that it would be absolute madness to stop eating these powerful green foods.

You would have to eat an insane, dangerous amount of these foods all day every day AND ALSO have severe chronic iodine deficiency for this level of goitrogenic activity to even register. The body EASILY copes with the goitrogenic foods we eat, easily. It doesn’t even scratch the surface.

These guys are just putting two and two together and making millions of people stop eating some of the healthiest foods on earth.

The data to support this claim simply isn’t there. The research exists, but it does not show any link between these deliciously healthy vegetables and a detriment to thyroid health. It simply shows benefits.

I explain in much more detail in this video, and in my written guide here (including references to the research literature) – but in short, just ignore the hype.

The Alkaline Hypothyroidism Plan: Your Next Steps

In this guide I’ve shown you the big picture – the reasons and causes for hypothyroidism, the things you must absolutely avoid and the foods and nutrients you have to start adding to your daily diet.

But I also want to give you the plan to put this in place, and speed your recovery as quickly as possible, to reset, heal, nourish and rebuild your thyroid function to take it from wherever it is now to absolutely optimal.

On Monday 10th September, I am running a special live, online Masterclass (webinar) where I will share with you my exact thyroid healing plan, step-by-step, completely for free.

It will be a live 60-minute training session called Reset Your Thyroid: The Alkaline Thyroid Healing Plan.

During the session you’ll learn exactly what to do to rebuild and nourish your thyroid and how to put the plan in place.

Click here to learn more about this free Masterclass

You will learn EXACTLY how to put the plan in place to rebalance your thyroid, adrenals and everything that is causing your current state of hypothyroidism.

Click here to learn about the Hypothyroidism Masterclass" width="750" height="422"/></a></p><p><strong>References and Studies</strong></p><ol><li>Ian F Robey., “<a href=Examining the Relationship Between Diet-Induced Acidosis and Cancer,” Nutrition and Metabolism (August 2012).

  • Marc Maurer, Walter Riesen, Juergen Muser, Henry N. Hulter, and Reto Krapf., “Neutralization of Western diet inhibits bone resorption independently of K intake and reduces cortisol secretion in humans”American Physiological Society (January 2003)
  • https://nutritionandmetabolism.biomedcentral.com/articles/10.1186/1743-7075-9-72
  • Shamima Akter Ph.D., Masafumi Eguchi M.D., Ph.D., Kayo Kurotani Ph.D., Takeshi Kochi M.D., Ngoc Minh Pham Ph.D., Rie Ito P.H.N., Keisuke Kuwahara Ph.D., Hiroko Tsuruoka P.H.N., Tetsuya Mizoue Ph.D., Isamu Kabe Ph.D., Akiko Nanri Ph.D., “High dietary acid load is associated with increased prevalence of hypertension: The Furukawa Nutrition and Health Study”Science Direct (February 2015).
  • Rebecca S.Williams, Pinar Kozanab, Dorit Samocha-Bonet., “The role of dietary acid load and mild metabolic acidosis in insulin resistance in humans”Science Direct (May 2016).
  • Mirmiran P1, Yuzbashian E, Bahadoran Z, Asghari G, Azizi F., “Dietary Acid-Base Load and Risk of Chronic Kidney Disease in Adults: Tehran Lipid and Glucose Study”US National Library of Medicine National Institutes of Health (May 2016).
  • Jonas Esche Simone Johner Lijie Shi Eckhard Schönau Thomas Remer., “Urinary Citrate, an Index of Acid-Base Status, Predicts Bone Strength in Youths and Fracture Risk in Adult Females”The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism (September 2016)
  • Drago S, El Asmar R, Di Pierro M, Grazia Clemente M, Tripathi A, Sapone A, Thakar M, Iacono G, Carroccio A, D’Agate C, Not T, Zampini L, Catassi C, Fasano A., “Gliadin, zonulin and gut permeability: Effects on celiac and non-celiac intestinal mucosa and intestinal cell lines”US National Library of Medicine National Institutes of Health (April 2006).
  • Drutel A, Archambeaud F, Caron P., “Selenium and the thyroid gland: more good news for clinicians”US National Library of Medicine National Institutes of Health (February 2013)
  • Mara Ventura, Miguel Melo, and Francisco Carrilho., “Selenium and Thyroid Disease: From Pathophysiology to Treatment”, HINDAWI International Journal of Endocrinology (January 2017).
  • Alessio Fasano, “Zonulin, regulation of tight junctions, and autoimmune diseases”US National Library of Medicine National Institutes of Health (July 2013)
  • Andreas Baumgartner, Margot Dietzel, Bernd Saletu, Rainer Wolf, Angel Campos-Barros, Klaus-Jürgen Gräf, Irene Kürten, Ulrich Mannsmann., “Influence of partial sleep deprivation on the secretion of thyrotropin, thyroid hormones, growth hormone, prolactin, luteinizing hormone, follicle stimulating hormone, and estradiol in healthy young women”Science Direct (August 1993)
  • Juhua Luo, Megan Sands, Jean Wactawski-Wende, Yiqing Song, Karen L. Margolis., “Sleep Disturbance and Incidence of Thyroid Cancer in Postmenopausal Women The Women’s Health Initiative”American Journal of Epidemiology (December 2012)
  • An overview of the NRC’s groundbreaking report on fluoride toxicity, including excerpts of its key findings and recommendations, statements from the panelists, and a discussion of its relevance to water fluoridation and sulfuryl fluoride.
  • Anna L Choi, Guifan Sun, Ying Zhang, Phillipe Grandjean., “Developmental Fluoride Neurotoxicity: A Systematic Review and Meta-Analysis,” Environmental Health Perspectives (October 2012).
  • Simopoulos AP., “The importance of the ratio of omega-6/omega-3 essential fatty acids”US National Library of Medicine National Institutes of Health (October 2002)
  • Sourcehealthylbook.com

    Tags: