A homeopatia funciona? A ciência, os remédios e as dosagens

NOTA: Este é um artigo longo e cheio de informações sobre O trabalho da homeopatia? A ciência, os remédios e as dosagens. Para facilitar a navegação, use o botão Índice para sua direita

A homeopatia é um sistema alternativo de medicina que foi fundado no início do século 19 por um médico alemão, o Dr. Hahnemann. Teve sua maior popularidade no final do século 19 aqui nos Estados Unidos, quando 15% dos médicos neste país eram homeopatas.

No entanto, com o advento da medicina moderna, a homeopatia começou a parecer velha e indigesta e sua popularidade despencou. No entanto, desde 1980, a Homeopatia tem visto um ressurgimento do interesse nos Estados Unidos e no Reino Unido; livros homeopáticos podem ser encontrados em muitas livrarias e médicos homeopatas na maioria das cidades.

Como funciona a homeopatia?

Os Princípios da Homeopatia

A Homeopatia Clássica baseia-se em três princípios: a lei dos semelhantes, o medicamento único e a dose mínima. A lei dos semelhantes afirma que uma doença é curada por um medicamento que cria sintomas semelhantes aos que o paciente está experimentando em uma pessoa saudável. Por isso, uma parte importante da prescrição de um medicamento homeopático é uma longa entrevista para determinar todos os sintomas que o paciente está sentindo. O médico homeopata, em seguida, determina qual medicamento melhor corresponde aos sintomas que o paciente está experimentando e o prescreve.

O princípio do remédio único afirma que um único remédio deve cobrir todos os sintomas que o paciente está sentindo: mental, emocional e físico. Um homeopata clássico não prescreveria um remédio para dor de cabeça e outro para dor de estômago, encontraria um único remédio que cobrisse ambos os sintomas.

O princípio da dose mínima tem duas partes. Primeiro, o médico homeopata prescreve apenas um pequeno número de doses do Medicamento Homeopático e aguarda para ver o efeito do medicamento. Em segundo lugar, o medicamento é dado em uma dose infinitesimal. Os homeopatas descobriram que o efeito dos medicamentos homeopáticos é fortalecido em diluições sucessivas, desde que o medicamento seja violentamente agitado entre cada diluição. Medicamentos são tipicamente usados ​​em diluições muito altas, como 30C (1 parte em 10 ^ -60) ou 200C (1 parte em 10 ^ -400).

Diluição

Muitos dos remédios homeopáticos são tão diluídos que, de acordo com as leis conhecidas da física e da química, eles não poderiam ter qualquer efeito. Uma vez que você ultrapasse um determinado ponto – 24x ou 12c – provavelmente não há nem mesmo uma única molécula da substância ativa original remanescente.

Esse fato é frequentemente apontado pelos críticos da Homeopatia, pois eles descartam o efeito da Homeopatia como meramente devido ao efeito placebo. E, no entanto, de acordo com a doutrina e a experiência homeopáticas, quanto mais diluída a solução, mais potente ela é. Os homeopatas afirmam que os remédios funcionam e não vêem razão para parar de usá-los simplesmente porque não entendemos como eles funcionam.

Eles geralmente argumentam que os farmacologistas não podem explicar exatamente como a maioria das drogas convencionais funciona. Por exemplo, até mesmo a aspirina não é totalmente compreendida em termos de como funciona, mas os médicos não têm dificuldade em recomendar seu uso. Ao longo dos anos, várias teorias foram propostas para explicar a ação na potenciação homeopática.

Hormese

Os efeitos das microdoses são conhecidos há muito tempo e há vários exemplos que apoiam a ideia de que concentrações muito diluídas de uma substância terão um efeito mensurável e às vezes profundo. Os cientistas chamam este fenômeno: hormesis.

Cientistas da Michigan State University mostraram como a hormesis funciona na natureza. Eles usaram microdoses de um fertilizante para estimular a produção das culturas. Em uma dose equivalente a uma diluição de 9x, o fertilizante aumentou o rendimento do tomate em 30%, as cenouras foram 21% maiores e o rendimento do milho aumentou em 25%.

Nossos próprios corpos secretam quantidades mínimas de hormônios que têm efeitos poderosos. O hormônio da tireóide está presente no nosso sangue em apenas uma parte por 10 bilhões, mas isso é suficiente para regular a taxa de todo o nosso metabolismo. Muitos estudos em animais mostram que baixas doses de algumas substâncias provocam uma resposta benéfica, enquanto altas doses são prejudiciais. Este fenômeno foi documentado para ocorrer com radiação, antibióticos e metais pesados.

Feromonas

Os feromônios são poderosas substâncias semelhantes a hormônios aromáticos que as criaturas secretam para atrair um ao outro. Uma molécula de feromônio da mariposa é tão potente que atrairá outra mariposa a quilômetros de distância e desencadeará uma cascata de reações físicas. Embora bem documentado, o mecanismo exato para os feromônios permanece desconhecido.

Os remédios homeopáticos funcionam no plano espiritual / energético e não no plano físico

Acredita-se que os remédios homeopáticos funcionem no plano espiritual, em oposição ao plano físico, como estamos acostumados a pensar e medir. Hahnemann acreditava que a diluição e a sucussão liberavam um poder espírita que funcionava no nível espiritual da força vital nos seres humanos. Estamos familiarizados com as formas de energia anteriormente invisíveis, imensuráveis ​​e incognoscíveis, como a radiação eletromagnética e as partículas subatômicas. Os ímãs exerceram sua força muito antes que a ciência pudesse explicar o mecanismo. Os físicos ainda estão tentando explicar a gravidade e a natureza da matéria, ainda descobrindo fenômenos como a “força forte” e a “força fraca”.

A homeopatia é um remédio energético, assim como a acupuntura e o toque terapêutico. Os homeopatas acreditam que, embora as moléculas físicas da substância original possam ter desaparecido, a diluição e a sucussão deixam algo para trás – uma marca de sua essência, ou seu padrão de energia – que lhe dá uma espécie de carga de cura.

A potenciação não ocorre se você simplesmente diluir a substância, mesmo que a dilua repetidamente. Nem ocorre se você só sacode a substância vigorosamente. Há algo em cada processo que se constrói sequencialmente sobre o outro, fazendo com que o poder seja retido e progressivamente intensificado.

Mas como as informações em uma quantidade tão pequena de substância são transferidas para o corpo? Alguns teóricos sugerem que a repetida sucussão cria um padrão eletroquímico que é armazenado no transportador de água e depois se espalha como cristalização líquida através da própria água do corpo; outros dizem que o processo de diluição desencadeia uma impressão eletromagnética que afeta diretamente o campo eletromagnético do corpo. Este conceito também é usado em outras terapias.

Por exemplo, o Ayurveda sugere tomar água que foi potencializada por metais preciosos como o ouro. Acredita-se que a água possua poder curativo como resultado de entrar em contato com ouro e outras pedras preciosas, embora não ocorra transferência molecular. Acredita-se que o poder de cura de cristais e ímãs provenha de seu efeito no padrão de energia ou na frequência de vibração. Assim, a sugestão dos remédios homeopáticos como trabalhando no plano de energia pode não ser tão improvável quanto podemos pensar à primeira vista.

Remédios homeopáticos ativam a força vital

Os homeopatas acreditam que é a energia ou o "padrão vibratório" do remédio, e não o conteúdo químico, que estimula a cura ativando o que Hahnemann chamou de força vital. A força vital é o poder de cura ou energia que existe dentro de todos nós. É chamado pelo nome Chi pelo chinês e Prana pelo Ayurveda indiano. A força vital alimenta a mente, corpo, emoções e mente. Isso nos mantém saudáveis ​​e equilibrados.

Quando o equilíbrio da força vital é perturbado por fatores como estresse, poluição, dieta inadequada e falta de exercício, ela fica enfraquecida, resultando na pessoa ficando doente. (Para uma descrição da filosofia chinesa da força vital, por favor, consulte a seção sobre Acupuntura. Para o conceito ayurvédico da força vital, por favor leia a seção correspondente do Ayurveda.)

Cientistas que aceitam os potenciais benefícios da teoria homeopática sugerem várias teorias para explicar como medicamentos homeopáticos altamente diluídos podem agir. Usando os desenvolvimentos recentes da física quântica, eles propuseram que a energia eletromagnética nos medicamentos pode interagir com o corpo em algum nível.

Pesquisadores em química física propuseram a teoria da “memória da água”, em que a estrutura da solução água-álcool é alterada pelo medicamento durante o processo de diluição e retém essa estrutura mesmo depois que nenhuma substância real permanece.

Evidência Científica para Medicina Homeopática

É o uso de doses infinitesimais que é o aspecto mais controverso da Homeopatia e a razão pela qual a maioria dos médicos convencionais afirma que funciona apenas como um placebo. No entanto, uma série de estudos controlados foram realizados, que mostram a eficácia da Medicina Homeopática no tratamento de várias doenças.

O melhor resumo desta pesquisa é um estudo publicado no British Medical Journal. Os autores deste estudo não são homeopatas, mas professores de faculdades de medicina solicitados pelo governo holandês para revisar as pesquisas existentes.

“Ensaios clínicos da homeopatia”, Kleijnen, Jos; Knipschild, Paul; ter Riet, Gerben; British Medical Journal, 9 de fevereiro de 1991 v302 n6772 p516 (8).

A seguinte informação na pesquisa da homeopatia é por Dana Ullman, M.P.H. (Extraído do Guia do Consumidor para a Homeopatia, Tarcher / Putnam)

A maioria das pessoas com pouca experiência em homeopatia não tem dúvidas de que esses remédios funcionam, embora inevitavelmente eles tenham alguns membros da família, amigos, vizinhos e médicos que serão céticos sobre isso.

Uma maneira de lidar com o ceticismo dessas pessoas é se familiarizar com a pesquisa sobre a eficácia dos medicamentos homeopáticos.

A pesquisa sobre homeopatia

Na verdade, há muito mais pesquisas clínicas e laboratoriais sobre Medicina Homeopática do que a maioria das pessoas imagina. Dito isto, também deve ser reconhecido que mais pesquisas são certamente necessárias, não simplesmente para responder às questões dos céticos, mas para ajudar os homeopatas a otimizar o uso desses poderosos remédios naturais.

Alguns céticos insistem que a pesquisa sobre homeopatia é obrigatória, uma vez que as doses excepcionalmente pequenas usadas não fazem sentido e não há mecanismo conhecido de ação para essas drogas. Embora seja verdade que os homeopatas atualmente não sabem exatamente como funcionam os microdoses homeopáticos, existem algumas teorias convincentes sobre seu mecanismo de ação (ver a discussão no Capítulo 1, “A Sabedoria e a Maravilha das Pequenas Doses”).

Mais importante, há provas convincentes de que eles funcionam, como este artigo mostrará. E embora os homeopatas possam não entender como seus remédios funcionam, tenha em mente que os farmacologistas contemporâneos reconhecem prontamente que existem muitos medicamentos comumente prescritos hoje, incluindo aspirina e certos antibióticos, cujo mecanismo de ação permanece desconhecido, mas essa lacuna no conhecimento ainda precisa impedir que os médicos os prescrevam.

Visão de Allopathy da Homeopatia

Muitos médicos convencionais expressam dúvidas sobre a eficácia da Homeopatia, afirmando que "acreditarão quando a virem". Talvez seja mais apropriado que eles reconheçam que "verão quando acreditarem". não é uma crítica tanto aos médicos convencionais quanto ao pensamento médico convencional.

O paradigma biomédico estreitou a visão, o pensamento e a prática da medicina para o tratamento de entidades de doenças específicas com drogas e procedimentos supostamente específicos de um sintoma. Um aspecto integral desta abordagem à medicina é a suposição de que quanto maior a dose de uma droga, mais fortes serão seus efeitos. Embora isso pareça ter sentido na superfície, médicos e farmacologistas experientes sabem que isso não é verdade.

O que é bifásico?

Existe um princípio reconhecido em farmacologia chamado “resposta bifásica de drogas” .1 Em vez de um medicamento simplesmente ter efeitos aumentados à medida que sua dose se torna maior, a pesquisa mostrou consistentemente que doses excessivamente pequenas de uma substância terão os efeitos opostos. de grandes doses.

As duas fases da ação de uma droga (daí o nome "bifásico") são dependentes da dose. Por exemplo, é amplamente reconhecido que doses médicas normais de atropina bloqueiam os nervos parassimpáticos, fazendo com que as membranas mucosas sequem, enquanto doses excessivamente pequenas de atropina causam aumento das secreções nas membranas mucosas.

Esse princípio farmacológico foi descoberto simultaneamente na década de 1870 por dois pesquisadores independentes, Hugo Schulz, um cientista convencional, e Rudolf Arndt, um psiquiatra e homeopata. Inicialmente chamado de lei de Arndt-Schulz, este princípio ainda é amplamente reconhecido, como testemunhado pelo fato de que é comumente listado em dicionários médicos sob a definição de “lei”.

Mais especificamente, esses pesquisadores descobriram que estímulos fracos aceleram a atividade fisiológica, estímulos médios inibem a atividade fisiológica e estímulos fortes interrompem a atividade fisiológica. Por exemplo, concentrações muito fracas de iodo, bromo, cloreto mercúrico e ácido arsenioso estimularão o crescimento das leveduras, doses médias dessas substâncias inibirão o crescimento das leveduras, e grandes doses matarão a levedura.

Na década de 1920, cientistas convencionais que testaram e verificaram essa resposta bifásica chamaram o fenômeno de "hormese" e dezenas de estudos foram publicados em uma ampla variedade de campos para confirmar esse princípio biológico.

Nas últimas duas décadas, houve novamente um ressurgimento do interesse por essa lei farmacológica, e agora centenas de estudos em numerosas áreas de investigação científica a verificaram.3 Como esses estudos foram realizados por cientistas convencionais que normalmente não são familiares Com a Medicina Homeopática, eles não testaram nem sequer consideraram testar as diluições ultra-altas comumente usadas na homeopatia. No entanto, suas pesquisas mostraram consistentemente efeitos muito significativos de microdoses tão pequenos que até mesmo os pesquisadores expressam confusão e surpresa.

A referência a esta pesquisa sobre a lei de Arndt-Schulz e hormesis é importante para validar a pesquisa homeopática porque demonstra a evidência das respostas bifásicas importantes e efeitos de microdose que estão no coração da homeopatia. Esta pesquisa está prontamente disponível para médicos e cientistas, mas muitas vezes é ignorada ou não é compreendida

.

A pesquisa homeopática está em andamento

A quantidade de pesquisas sobre medicamentos homeopáticos está crescendo, e está se tornando cada vez mais difícil ignorar esses estudos, porque eles estão aparecendo agora em muitas das revistas médicas e científicas mais respeitadas do mundo. Este capítulo não pretende ser exaustivo (isso exigiria um livro ou dois de sua autoria). Incluirá muitos dos melhores estudos, a maioria dos quais foram publicados em revistas médicas e científicas convencionais.

Alguns dos estudos são discutidos por causa dos resultados impressionantes que mostraram, e outros são incluídos por suas implicações para uma melhor compreensão da Homeopatia e do processo de cura. A revisão da pesquisa não é simplesmente fornecer evidências da eficácia da Medicina Homeopática, mas também esclarecer os leitores sobre como avaliar a pesquisa homeopática, se resultados positivos ou negativos são obtidos.

Algumas definições

  • Ensaios com dupla ocultação – referem-se a experiências em que nem o experimentador nem os sujeitos sabem se foi prescrito um tratamento específico ou um placebo (um medicamento falso que parece e tem gosto de medicamentos homeopáticos reais
  • Ensaios clínicos randomizados – são aqueles em que indivíduos de um experimento são colocados aleatoriamente em grupos de tratamento ou em grupos de placebo. Os pesquisadores tentam colocar pessoas com características semelhantes em números iguais nos grupos de tratamento e placebo.
  • Estudos cruzados – referem-se a experimentos nos quais metade dos indivíduos de um estudo recebem um placebo durante uma fase de um estudo e depois recebem o tratamento ativo durante a segunda fase, enquanto a outra metade começa com o tratamento ativo e depois receber o placebo durante a segunda fase. Estudos de crossover, por vezes, não testam um placebo e, em vez disso, comparam um tipo de tratamento com outro tipo de tratamento
  • .

Pesquisa Moderna em Homeopatia

Pesquisa moderna é projetada para avaliar os resultados de uma terapia em comparação com um placebo e / ou outra terapia. Esse tipo de estudo é valioso porque muitos pacientes respondem muito bem a placebos, e esse “tratamento” é tão seguro e barato que geralmente se assume que “tratamentos reais” devem ter resultados consideravelmente melhores do que os do placebo. Deve-se observar que os efeitos do placebo podem ser significativos e, clinicamente, esses efeitos podem ser muito positivos (algumas pessoas pensam neles como um tipo de autocura).

Duplicar um experimento é importante para a pesquisa porque os experimentadores tendem a tratar as pessoas que estão recebendo o tratamento real de maneira diferente ou melhor do que aquelas que receberam um placebo, descartando assim os resultados do experimento. A pesquisa é randomizada para que as pessoas tratadas com o medicamento real e aquelas tratadas com o placebo sejam tão semelhantes quanto possível, fazendo uma comparação entre o tratamento real e o tratamento com placebo mais preciso. Estudos cruzados permitem que os pesquisadores comparem os efeitos separados de um placebo e um tratamento em todos os indivíduos em um experimento.

As estatísticas obviamente são uma parte importante da pesquisa. Pensa-se que um tratamento seja considerado melhor do que um placebo se os resultados, de acordo com a análise estatística, não tiverem mais do que 5% de possibilidade de acontecerem aleatoriamente (a notação desta probabilidade estatística é: P = 0,05). Um estudo com um pequeno número de pacientes (por exemplo, 30 ou menos) deve mostrar uma grande diferença entre os grupos de tratamento e não tratamento para que ele se torne estatisticamente significativo.

Um estudo com um grande número de pacientes (por exemplo, várias centenas) precisa ter apenas uma diferença pequena, mas consistente, para obter uma significância estatística similar. Essas informações são fornecidas para que os leitores saibam que todos os estudos descritos neste capítulo são estatisticamente significativos, exceto quando especificado de outra forma. Pesquisa Clínica

As pessoas são frequentemente confundidas pela pesquisa, não apenas porque pode ser excessivamente técnica, mas porque alguns estudos mostram que uma terapia funciona e outros estudos mostram que isso não acontece. Para resolver esse problema, um desenvolvimento recente em pesquisa é usado, chamado de "meta-análise", que é uma revisão sistemática de um corpo de pesquisa que avalia os resultados gerais dos experimentos.

Em 1991, três professores de medicina da Holanda, nenhum deles homeopatas, realizaram uma metanálise de 25 anos de estudos clínicos usando medicamentos homeopáticos e publicaram seus resultados no British Medical Journal.4 Essa meta-análise cobriu 107 ensaios controlados, dos quais 81 mostraram que os medicamentos homeopáticos eram eficazes, 24 mostraram que eram ineficazes e 2 eram inconclusivos.

Os professores concluíram: “A quantidade de resultados positivos foi uma surpresa para nós.” Especificamente, eles descobriram que:

  • 13 de 19 estudos mostraram tratamento bem sucedido de infecções respiratórias
  • 6 de 7 estudos mostraram resultados positivos no tratamento de outras infecções
  • 5 de 7 estudos mostraram melhora em doenças do sistema digestivo
  • 5 de 5 mostraram tratamento bem sucedido de febre do feno
  • 5 de 7 mostraram recuperação mais rápida após cirurgia abdominal
  • 4 de 6 promoveram a cura no tratamento de doenças reumatológicas
  • 18 de 20 mostraram benefício em abordar a dor ou trauma
  • 8 de 10 mostraram resultados positivos no alívio de problemas mentais ou psicológicos
  • 13 de 15 mostraram benefício de diagnósticos diversos

Apesar do alto percentual de estudos que forneceram evidências de sucesso com a Medicina Homeopática, a maioria desses estudos foi falha de uma forma ou de outra. Ainda assim, os pesquisadores encontraram 22 estudos de alto calibre, 15 dos quais mostraram que os medicamentos homeopáticos eram eficazes.

De interesse adicional, eles descobriram que 11 dos 15 melhores estudos mostraram eficácia desses medicamentos naturais, sugerindo que quanto melhor projetados e realizados os estudos fossem, maior a probabilidade de os medicamentos serem considerados eficazes. Embora pessoas não familiarizadas com a pesquisa possam se surpreender ao saber que a maioria dos estudos sobre Homeopatia foi falha de uma forma significativa ou outra, 5 pesquisas em medicina convencional nos últimos 25 anos tiveram uma porcentagem similar de estudos falhos.

Com esse conhecimento, os pesquisadores da meta-análise em Homeopatia concluíram: "As evidências apresentadas nesta revisão provavelmente seriam suficientes para estabelecer a Homeopatia como um tratamento regular para certas indicações."

Diferentes tipos de pesquisa em homeopatia

Existem diferentes tipos de pesquisa clínica homeopática, alguns dos quais fornecem individualização de remédios; que é a marca da metodologia homeopática; alguns dos quais dão um remédio comumente prescrito para todas as pessoas com uma doença semelhante, e alguns dos quais dão uma combinação de medicamentos homeopáticos para pessoas com uma condição similar.

Embora se possa realizar uma boa pesquisa usando qualquer um desses métodos, há certas questões que os pesquisadores devem ter consciência e sensibilidade a fim de obter os melhores resultados objetivos.

Por exemplo, se um estudo não individualizar um medicamento homeopático para pessoas que sofrem de uma doença específica e os resultados do estudo mostram que não houve diferença entre aqueles que receberam este remédio e aqueles que receberam um placebo, o estudo não desmente Homeopatia; isso simplesmente prova que esse remédio não é eficaz no tratamento de todas as pessoas que sofrem desse mal, cada um dos quais pode ter um padrão único de sintomas que requer uma prescrição individual.

Ao descrever os detalhes dos estudos que se seguem, utilizando medicamentos homeopáticos, a diferenciação foi feita entre os estudos que permitiram a individualização dos medicamentos e os que não o fizeram.

Quais condições respondem bem à homeopatia?

Doenças como resfriados, Prisão de ventrevômitos e diarréia respondem bem ao tratamento homeopático. Pode ajudar no tratamento da artrite reumatóide, fibrositose e psoríase.

A homeopatia também ajuda nas queixas emocionais, mentais ou físicas. Por exemplo, existe um remédio disponível para ajudar as pessoas a pararem de fumar.

Condições para as quais a homeopatia tem um remédio conhecido:

  • Dor Abdominal e Indigestão
  • Acne
  • Alergias: Dermatite de contato {erupção cutânea), Eczema, urticária, alergia ao trato respiratório superior {Hay Fever)
  • Ansiedade e Medo
  • Asma: Alérgica, Reactiva, Psicogênica
  • Problemas de coluna e pescoço: rigidez do pescoço, dor lombar, entorse sacroilíaca, cóccix, ciática
  • Enurese (enurese)
  • Infecções da bexiga {Cistite]
  • ferve
  • Canker Sores and Cold Sores
  • Catapora
  • Frios
  • Conjuntivite {Inflamação ocular ou conjuntivite)
  • Constipação
  • Tosse
  • Diaper Rash
  • Diarreia
  • Earaches: Otitis Media, Otite Externa
  • Febre
  • Gripe
  • Intoxicação Alimentar
  • Sarampo Alemão
  • Pesar e Tristeza
  • Dores de cabeça: Contração muscular (tensão) Dor de cabeça, Vascular {enxaqueca] Dor de cabeça, Outras dores de cabeça
  • Hemorróidas
  • Hepatite
  • Herpes Simplex
  • herpes zoster {zona]
  • Impetigo
  • Insônia
  • Irritabilidade e raiva
  • Laringite
  • Sarampo
  • Cólicas Menstruais e Síndrome Pré-Menstrual (PMS)
  • Mononucleose
  • Doença de movimento
  • Caxumba
  • Náusea
  • Dor no Pescoço
  • Carvalho de Veneno ou Hera
  • Prostatite
  • Micose e outras infecções fúngicas relacionadas
  • Ciática
  • Doenças Sexualmente Transmissíveis
  • Problemas de sinusite (sinusite)
  • Garganta Dorida: Não Infecciosa, Viral e Estreptococo
  • Chiqueiros
  • Dentição
  • Sapinho
  • Uretrite
  • Vaginite: Infecções Fúngicas, Infecções Bacterianas, Infecções por Trichomonas e Vaginite Não Infecciosa
  • Vômito
  • verrugas

Como encontrar a dose certa para os remédios homeopáticos

Ok, você tem um resfriado ou apenas machucou o joelho com força, ou talvez esteja lutando contra uma condição crônica. Qual é a melhor dosagem para um remédio homeopático? Para descobrir a melhor dosagem, é preciso considerar muitos fatores: se a condição é aguda (início súbito) ou crônica (presente por mais tempo), a gravidade da dor e até mesmo a sua idade.

A sutileza por trás da Homeopatia se destaca quando avaliamos as dosagens necessárias para várias situações.

Em geral, situações agudas justificam dosagens menores dadas com mais frequência, enquanto situações crônicas exigem potências mais altas, dadas com menos frequência.

Potencias

De acordo com HomeopathyCenter.orgnão existe uma definição oficial do que a palavra "potência" significa em homeopatia. Geralmente é usado para se referir ao grau de diluição que um remédio homeopático sofreu em seu processo de fabricação. Isso é indicado pelo número e letra listados após o nome do remédio. Por exemplo, o Pulsatilla 30C foi submetido a 30 passos de diluição, cada passo tendo sido uma diluição de uma a cem (indicada pela letra “C” significando centesimal)

.

Algumas lojas também carregam as potências "X", como 6X ou 30X. O número ainda se refere ao número de diluições pelas quais o remédio foi submetido, mas a letra “X” significa que cada um foi uma diluição de um a dez (indicado por “X” o número romano para 10). Ambos 6X e 30X são geralmente considerados de baixa potência.

A convenção usual da homeopatia é se referir às maiores diluições, indicadas pelos números maiores, como potências mais altas e as menores diluições, indicadas por números menores, como potências mais baixas.

Então, qual é o mais forte 6X ou 30X?

Menos é mais em homeopatia. 30x é mais diluído, mas também mais potente e, portanto, mais profundo que 6X. O benefício de 6X é que ele requer menos precisão na seleção e pode ser ideal para dosagem leve e repetível, de acordo com 1-800homeopathy.com.

Qual Potência Você Deve Tomar?

Geralmente, é melhor começar com uma potência baixa. A potência padrão para a maioria dos remédios é 6X. A vantagem das baixas potências é que você não precisa ser tão preciso na identificação de seus sintomas e na seleção do melhor remédio. Medicamentos de menor potência são eficazes para uma gama mais ampla de sintomas. Isso os torna adequados para autodiagnóstico e dosagem repetida. Conforme você progride na sua cura, você também pode progredir para fórmulas de maior potência, de acordo com Arnica.com.

As potências mais altas exigem uma precisão considerável de diagnóstico e seleção, por isso é aconselhável consultar um profissional homeopata licenciado sobre seu uso. Para condições médicas urgentes ou sintomas que não melhorem, procure assistência médica profissional.

A ideia de que um remédio é mais forte quanto maior a sua diluição, é confuso na melhor das hipóteses. Para começar, aqui estão alguns princípios básicos a seguir, de acordo com Arnica.com:

1. Em geral: Comece baixo (6x) para poder subir mais (30X, 30C), eliminando os sintomas à medida que a potência aumenta. 6X é padrão

2. Seleção: Menores potências cobrem uma gama mais ampla de sintomas, por isso são ideais se você não tiver certeza de ter escolhido o melhor remédio para seus sintomas. Potências mais altas precisam de uma seleção mais precisa para estimular a cura. Por exemplo, resfriados Pulsatilla e resfriados Aconite são muito semelhantes, mas se você tomar Aconite 30C, você pode não tocar um frio Pulsatilla, no entanto, uma dose ou dois de 6X pode ter o suficiente da energia certa para estimular o alívio.

3. Gravidade: Quanto mais graves ou repentinos os sintomas, maior a potência que você pode querer usar. Por exemplo, uma repentina febre de Belladonna com rosto vermelho e irradiando calor, responde mais rápido a 30X ou 30C, mas se um 6X é o que você tem disponível, tudo bem e você pode dar a cada 15 minutos ou mais por algumas doses até você pode ver uma resposta. A slower moving flu like Bryonia's is going to exit more slowly, but can be encouraged just as well with 6X to 30X doses taken 3-4 times a day or as needed when symptoms flare up.

4. Exceptions: Mental emotional symptoms are often said to respond better to 30x or higher. But again, selection is key, so it is best to stay low if you are not certain.

5. Frequency: The higher the potency, the less often you need to dose.
It is always best to STOP or reduce dosing when symptoms improve. If improvement slows or stops, you can re-dose with the same or next potency.

Tackling Chronic Issues

For chronic issues, higher potencies administered less frequently can bring longer-lasting and deeper healing. I strongly recommend consulting a homeopathic practitioner for the treatment of chronic conditions.

Other Factors to Consider

When choosing remedies, you should also consider the severity of pain. Severe pain usually suggests higher potencies than slight discomfort.

I also believe age should be taken into consideration when choosing a remedy. Younger children or babies don't require a 200c dose for an acute issue such as teething; gentler, lower potencies are more appropriate. Adults are better able to handle higher potencies.

Children's systems are more sensitive than adults', so a nudge is often all they need to prompt an immune response. With years of immunity to either work for or against healing, adults usually need more encouragement to change for the better.

Using Homeopathic Remedies for Injuries

“The greatest value Homeopathy in sports? Its speed of action. I can use homeopathic medicines like Arnica directly on the soccer field.”–Dr. Jean-Marcel Ferret./1

So without any further ado, what remedies should you have with you on the sports field? We might as well start with Arnica, as, without a doubt, Arnica has almost single-handedly made Homeopathy famous! I would say seventy to eighty percent of the time, you’re going to give Arnica for sports injuries; that’s because Arnica is a specific for blunt trauma.

Every homeopath carries Arnica with him (or her) in his (or her) pocket or car or backpack or all three. That’s certainly the case with me; I have Arnica 10M in my pocket, Arnica 30C in my first aid kit in my backpack and Arnica 200C in my car. What can you do with Arnica? Practically anything! Think of it in car accidents, falls, head injuries, any blow, a sore bruised feeling from any cause–even a flu with a sore bruised feeling all over the body.

The worst head injuries where the person is seeing stars or has actually been knocked out can be brought back to health with a dose of Arnica. Post surgically, people who have taken Arnica have had no need for morphine or other pain relievers; now that’s impressive! And I was one of those people once, so I know it’s true.

Some of you may be wondering what Arnica, or any homeopathic remedy for that matter, looks like and in answer, the remedies look like little sugar granules and you can drop a few of them in a bottle of spring water, shake it up and take a sip. That’s all you have to do! Always shake the water bottle before each dose. An unconscious person can take the remedy by mere contact of the water with his lips, he doesn’t have to swallow it.

Arnica

  • Blunt trauma.
  • Wounds with a jagged surface, ragged wounds.
  • Bruises or bruised feeling. Great soreness.

Broken bones, multiple fractures–give Arnica first; you may have to follow with another remedy. In fact, an injured person may need many remedies in succession; a remedy for fright, followed by a remedy for blunt trauma and so on. (Try to leave space between each remedy so that you can ascertain the effect of the remedy just given.)

  • Sprains.
  • Strains.
  • Falls, accidents.
  • Swelling from injury.
  • Injury to the throat, hoarseness, loss of voice from shouting, “Hey, I’m open! Pass me the ball, for God’s sake!”
  • Nosebleed from injury.
  • Ailments from over-running/too much running–Asthma, nausea, etc.
  • Head injury, any ailment after head injury.

Another curious thing about Arnica is they won’t look well and will be dazed, but they’ll tell you they’re fine! They don’t seem to know they’re injured! When you see this, they need Arnica for sure! Furthermore, in a head injury, they may answer you correctly and then fall asleep. Arnica people don’t want to be touched, so they’ll send you away and they’ll be very adamant about it.

In counterdistinction to Arnica, we have another injury remedy that’s sure they are not fine! In fact, they fear they’re going to die, and that remedy is…

Aconite

Fright, panic and fear are the main features of the Aconite injury–and that’s just the parents! Yes, give the parents Aconite to calm them down! You’ll look at the little soccer player after an injury and you’ll see that he’s frantic, groaning, tossing about, biting his fist in pain. Notice your reaction, are you scared? Then it’s probably Aconite.

  • Any ailment or injury with fear as a concomitant is Aconite.
  • Inability to act or think.
  • Fear, Anxiety attacks, before an event (like a soccer game).
  • Sudden sore thoat after being exposed to cold/dry winds.
  • Any ailment after exposure to cold dry winds (and even hot dry winds).

They call Aconite “The Arnica of the eyes”. So, getting poked in the eye, corneal abrasions, sand in the eyes, “there’s something in my eye!”, etc., give Aconite.

And speaking of the eyes, for “Black eyes” we have…

Ledum

  • Black eye, injury to the soft tissue around the eye.
  • Injuries with dark Bruising that feel cold and are better for cold applications. Bruises are very painful with pitting edema and a mottled bruise color.
  • Cellulitis that spreads upward.
  • Puncture wounds, animal bites, will prevent tetanus, with deep soreness and swelling of 2 or 3 inches, deep red and painful, needs ice. The Ledum patient will be much worse if you remove the ice for even a second!

Any time an injured part feels cold, give Ledum. In a Ledum wound, you will see redness at the site, but surrounded by a ring of powder, or a ring that’s bluish-white; it may feel cold and the injury is ameliorated by cold.

Speaking of Black eye, we can’t forget…

Symphytum

If I could possibly quote from Dr. Robin Murphy here, “For blows to the eye, Ledum and Symphytum are the first two; Arnica is #3. For severe achiness in the whole eyeball that is dark Blue and discolored. … For all the bone diseases; osteomyelitis, bone ulcers, spinal diseases after trauma and injury. … Someone gets hit in the face on the cheek, that is not an Arnica case; it is a Symphytum or Ruta case. Arnica is for soft tissue.

Arnica may help but Symphytum will cure. … You get hit in the abdomen or arm, that is more Arnica. The chin, cheek, face or eye is more Symphytum. The knee would be Symphytum or Ruta.

You can start with Arnica but a lot of times, that won’t finish it. You may have to give two or three remedies in sequence to give rapid relief. Give Arnica to remove the bruised feeling and the swelling and help with the discoloration, then it is time to go to another remedy, like Symphytum to finish it.

Symphytum has a great affinity for bones…promotes healing; give Arnica first; once the broken bone is set, give Symphytum. It helps remove pain, inflammation and swelling, good for injury to periosteum when Ruta fails and injury to coccyx when Hypericum fails.”

Hypericum

This is the nerve remedy. Have you ever dropped something on your toe or someone stepped on your fingers or the door closed on your hand and the pain shot up your arm? That’s Hypericum! Injury to areas rich in nerves. Someone steps on your toes, you bite your tongue. The pain is sharp and shooting. Injury to the nerves, inflammation of the nerves. Falls on the tail bone.

  • Puncture wounds with sharp pains, animal bites, insect stings with sharp pains.
  • Numbness and tingling.
  • Injury to the spine.
  • Pinched Nerve.
  • Crush wounds
  • Any neurological condition after injury to the spine like Convulsions.
  • Person complains that he can’t raise his arms without pain.
  • Lacerations.
  • Excessive painfulness.
  • Foreign body in the eye.

Calendula

A partner with Hypericum, often you’ll see the two of them sold together as “Hyperical”. They’re both for cuts, open wounds, deep abrasions, multiple abrasions, chapping, chafing, bleeding, stabbing….I think you get the idea that Calendula is an Antiseptic! Pour Calendula water on an open wound to clean it out.

Drop some Calendula pellets in a plant sprayer and spray the whole area that’s been abraded. Take the remedy internally as well. It stops bleeding, stops the redness, puffiness and pus formation at the site of a wound and stimulates healing, soothes the pain.

  • Redness, rawness.
  • Abrasions in the eyes, foreign body in the eye, but give Hypericum if there is a lot of pain!
  • Prevents sepsis from setting in after being wounded and even if it already has set in, Calendula is still the remedy, but also consider Pyrogen.

Staphysagria

It can be hard to decide when to use Staphysagria and when to use Calendula. Both are wound remedies. But with Staphysagria there is more pain, exquisite pain! In fact, do you know where I use Staphysagria? At the dentist’s office! Scraping the plaque off of sensitive teeth can cause a patient to hit the ceiling!

For this I take Staphysagria 10M right as I sit down in the dentist’s chair; and as Homeopathic Remedies don’t create the “drugged” feeling you get from pain killers, you can think that the remedy isn’t working, and that the dentist just hasn’t gotten to your sensitive teeth yet.

But when I got through the whole bottom row without pain, I began to suspect something! And when the whole proceedure was done without any anesthesia, I was convinced that the remedy really worked! But back to sports injuries! With Staphysagria, there is deeper infection than in Calendula, there is more pus and more pain. The wound seems to affect the whole person and not just the local site.

Bryonia

Whatever the injury may be, whether it’s a broken bone, (and Bryonia is the #1 remedy for acute fractures), a bruise or a sprain, the reaction of the Bryonia person is always the same: He can’t move. Even the slightest movement causes a sharp pain.

Even breathing might make the pain worse, so he is breathing very shallowly. Firm hard pressure gives him relief, an ace bandage gives relief. He will want the area immobilized. If for some reason Bryonia isn’t helping sufficiently in fractures, go to Eupatorium perf. for severe pain.

Bryonia’s opposite is…

Rhus toxicodendron

(”Rhus tox” for short.) Unlike Bryonia, Rhus tox must move! They cannot sit still! They must stretch, walk about, squirm in their seat. Usually with Rhus tox the injury is a sprain or strain. They feel terrible stiffness, which is relieved by stretching, moving and is worse as soon as they sit for any length of time or lie down. Moving helps them enormously, so does heat and hot bathing and massage.

Ruta

Ruta is an awful lot like Rhus tox. Ruta has strains and sprains, an affinity for the tendons, and a feeling of stiffness and is also worse cold and better heat, but Ruta wants to lie down and is better for lying down, which Rhus tox certainly is not; plus, Ruta’s stiffness is extreme; they’ll say it’s like being encased in cement!

Also, what Ruta is famous for is injuries to the shins and other areas that are thinly covered, like the forehead, chin, elbow, cheek bone–the periosteum, in other words.

Lachesis

Compound fractures, tremendous Bruising which is Black, or near Black with oozing of dark blood, threatened infection, severe pain, burning pain, worse heat, worse pressure. Do not even think about giving an ace bandage to a Lachesis patient!

Natrum sulph.

“Nat-sulph” is needed for the chronic syndrome following head injury or spinal injury which will almost always include severe Depression.

There may also be amnesia about the event.

Helleborus

Following head injury, a slowness or sluggishness, poor Concentration, a lack of comprehension; the patient is in a mental fog; he may have a furrowed brow and a rolling of the head from side to side.

Apis

Bee stings, wasp stings. Penetrating wounds that burn and sting as if they were bee or wasp stings.

Carbo veg.

The person is passing out from the injury. Also, altitude sickness, when your team is traveling to areas of high altitude.

Gelsemium

The little sports player is so nervous, so Anxiety-ridden, before the game that he’s trembly, feeling weak, may have Diarrhea and thinking that he’s “coming down with something” and not well enough to play.

Belladonna

The problem here is the heat. Heatstroke, heat exhaustion. The two back-up remedies for Belladonna in heatstroke are Glonoine and Natrum carb.

Bellis Perennis

Bellis is a back-up for Arnica. They are both daisies, but Bellis is a deeper Arnica; it’s for bruised organs. Imagine being kicked in the stomach or hit in the breast! This would be Bellis. There may also be lymph node enlargement after a trauma. Bellis will ask for cold applications and is worse from heat.

Opium

After Arnica, Opium is the most common remedy for head injury. The person will have pin-point pupils, will be stuporous and unresponsive. Face will be flushed, bloated, heavy, red, hot with an imbecillic look.

Ferrum phos.

Nose bleed of bright red blood.

Homeopathic Remedies for Common Ailments

Abscesses

– – red with swelling Belladonna 30C
– -helps pull out poisons Hepar Sulphur 30C
– -bluish Lachesis 30C
– -dental Mercurius Vivus 30C
– -worse with cold Silicea 30C

Abdominal pain

– -with gas Carbo Veg 30C
– -with spasmodic cramps Magnesium Phos 6X

Acne

– – Juglans reg 30C
– -worse with washing Sulphur 30C
– -teen acne Hepar Sulphur 30C

ADD, ADHD, Attention Problems

– -difficulty concentrating Kali Phos 30C

Allergy

– -sinus drip Natrum Mur 6X
– – watery, itchy eyes Allium Cepa 30X
– -runny nose Gelsemium 30C
– -burning eyes Euphrasia 30C
– -sun Hypericum 30C

Anger

– -pushes himself & others too hard Nux Vomica 30C
– –menopausal Stramonium Complex 10X
– -suppressed or anger from past abuse Staphysagria 30C
– -sudden outburst Stramonium 30C

Anxiety

– – Aconite 30C
– -Gelsemium 30C
– – Spongia tosta 30C
– -Arsenicum Album 30C
– -Phosphorus 30C

Arthritis

– -worse end of day Bryonia 30C
– -worse am, better after warming up joints with gentle motion Rhus tox 30C

Asthma

– -Antimonium Tart 30X
– -Arsenicum Album 30C
– -Ipecac 30X
– -Nux Vomica 30X
– -Gelsemium 30C

Athletes Foot

– -Thuja 30C

Bad breath

– -Mercurius Vivus 30X

Backache

– -Arnica 30C
– -Rhus Tox 30C
– -Ruta Grav 30C
– -from nerve injury Hypericum 30C

Bedwetting

– -Pulsatilla 30X
– -Phosphorus 30C

Bee stings

– -Apis Mel 30X

Bladder Irritation

– -Aconite 30C

Bladder Infection

– -Cantharis 30X
– -Causticum 30X
– -Staphysagria 30C

Bleeding, gums

– -Arnica 30X
– -Phosphorus 30X

Bloating

– -after overeating Nux Vomica 30C
– -after eating Carbo Veg 30C

Boils

– -sensitive to touch Hepar Sulphur 30C
–Sulphur 30C

Bones

– -pain Bone combination
– -broken Injury combination
– -broken Eupatorium Perf 30C
– -hair line fractures, slow healing breaks Symphytum 30X
– -growing pains Calcium Phos 6X
– – injury Ruta Grav 30C
– -aching Rhus Tox 30C

Breathing

– -shortness Sulphur 30C
– -difficult Spongia Tosta 30C

Bruising

– -from injuries Arnica 30X
– -easily bruises Ledum 30X

Burning

– -pain Cantharis 30X

Burping

– -gas or indigestion Carbo Veg 30X

Burns

– -Cantharis 30X
– -with nerve pain Hypericum 30X
– -on sensitive or irritated skin Urtica Urens 30C

Calcium

– -balance, helps with assimilation Calcarea Phosphorica 6X

Candida

– – Candida Alb 30C

Carpal Tunnel Syndrome

– -damage or weakness in tendons Ruta Grav 30C

Chest

– -constriction Ipecac 30X
– -rattling Veratrum Album 30X

Chicken Pox

– -may help to prevent pock marks Antimonium Tart 30X
– -with body aches Byronia 30X
– -intense itching Rhus Tox 30X

Children

– – ill, irritable Chamomilla 30X
– -ill, clingy Pulsatilla 30X
– -suddenly ill Aconite 30X

Chilblains:

– -for skin inflammation due to poor circulation Pulsatilla 30C

Choking

– -persons feels weak, coughing up of mucous Carbo Veg 30X
– -choking coughs Ipecac 30X

Colds

– -green nasal discharge Mercurius Vivus 30X
– -burning in nose & throat Spongia Tosta 30C
– -in the chest Phosphorus 30C
– -with fever Ferrum Phos 6X
– -head cold with nasal discharge Pulsatilla 30X
– -head cold with chest congestion Bryonia Alba 30X
– -in eyes Allium Cepa 30X
– -runny nose Nat Mur 6X
– -runny nose with yellow mucous Pulsatilla 30C
– -runny nose, aches Gelsemium 30C
– -Summer cold Gelsemium 30X

Cold sores

–frequent Zincum Met. 30X

Colic

–low pain tolerance Chamomilla 30X
– -with stomach cramps Mag Phos 6X
– -for colic a few hours after eating Nux Vomica 30X
– -with legs drawn up Pulsatilla 30X
– -improves digestion, colic from food allergies Natrum Phos 6X
– -afer overeating, sensitive stomach Lycopodium 30X

Constipation

– -alternating with diarrhea Nux Vomica 30X
– -with gas Lycopodium 30C
– -dry painful elimination Bryonia 30C

Cough

– -dry barking cough Bryonia 30X
– -croup Bromium 30C
– -feels like something caught in throat Hepar Sulphur 30X
– -coughs due to weather change Dulcamara 30X
– -hard coughs with even vomiting Kali Bichrom 30C
– -first sign Aconite 30X

Cramping

– -pms, labor caulophyllum 30C
– -muscle cramps, pms cimicifuga Rac 30X
– -in calves, nighttime cramps Magnesia Phos 6X

Dental problems

– -excess salivation Mercurius Vivus 30C
– -metallic taste Stramonium 30C
– -Toothaches Plantago 3X
– -Bone pain Calcium Phos 6X
– -improve Calcium absorption Vitamin K 12X
– -Receded, bleeding gums Kali Phos 6X
– -Remineralization of Enamel Calcium Fluoride 6X

Dental surgery

– -before and after Arnica 30X
– -before Hypericum 30X

Depression

– -from grief of heartache Ignatia 30C
– -with loss of self-worth Aurum Met 30C
– -for when your cells just need a boost Calcium Phos 6X
– -with lack of energy Nat Mur 6X
– -emotional, tearful Pulsatilla 30C
– -with health problems Staphysagria 30C

Diaper Rash

– – Calendula 3.5 oz. ointment
– -Calendula Oil 4 oz.
– -red, irritated, burning skin Cantharis 30X

Diarrhea

– -from food poisoning Arsenicum Album 30X
– -with nausea Ipecac 30X
– -spicy food Nux Vomica 30X
– -sudden Phosphorus30X
– -indigestion Podophyllum 30X
– -morning Sulphur 30C
– -watery Phosphorus 30C

Digestion

– -from eating foods that don't agree with you Carbo Veg 30C
– -foul smelling, acidic Natrum Phos 6X

Discharge

– -burning Arsenicum Album 30X
– -clear nasal Allium Cepa 30X
– -green Hepar Sulphur 30X
– -watery Gelsemium 30X
– -yellow Pulsatilla30X

Dizziness

– -sudden illness Aconite 30C
– -illness Gelsemium 30C

Dry

– -General Dryness Bryonia 30C
– -Dry Mouth Bryonia 30X

Earache

– -First signs of earache Aconite 30X
– -Red and burning Belladonna 30X
– -Inflammation Ferrum Phos 6X
– -Inner ear Inner Ear 4C
– -Middle ear Middle Ear 4C
– -Painful Plantago Eardrops
– -Plugged Eustachian tube Kali Mur 6X
– -Children Pulsatilla 30X
– -Rightsided Belladonna 30C

Ears

– -abscessed Mercurius Vivus 30C
– -roaring Aconite 30C

Eczema

– -dry, itchy Sulphur 30C
– -topical Calendula ointment 3.5oz
– -topical Calendula ointment 13.5oz
– -itch, burn, swell Arsenicum Album 30C
– -scalp Kali Mur 6X

Emotional strain

– -grief and depression Ignatia 30C

Emphysema

– – Bromium 30C

Exhaustion

– -with illness or flu Gelsemium 30X
– -heat exhaustion Veratrum Album 30C
– -nervous exhaustion Kali Phos

Eyes

– – eyestrain Ruta Grav 30C
– – injury Aconite 30X
– – inflammation, swelling, redness Euphrasia 30C
– – pain Hypericum 30X
– -Injury-black eye Ledum 30C
– -burning Sulphur 30C
– -pink eye Arsenicum Album 30C
– -sticky discharge Pulsatilla 30X

Eyestrain

– -Ruta Grav 30C

Fainting

– -Pulsatilla 30X

Fear

– – trauma Aconite 30X
– -of being ill Arsenicum Album 30C

Fever

– -sudden Aconite 30X
– -high fevers Belladonna 30X
– -with paleness Bryonia 30X
– -children Chamomilla 30X
– -inflammation Ferrum Phos 6X
– -with flu Gelsemium 30C
– -restlessness Pulsatilla 30X

Fibromyalgia

– -muscle weakness Rhus Tox 30C
– -pain constantly shifting Pulsatilla 30C
– –nerve pain Mag Phos 6X

Flatulence

– -shortly after eating Nux Vomica 30C
– -with heartburn Carbo Veg 30X

Flu

– -with aches, bone and muscle Bryonia 30X
– -with cold Gelsemium 30X
– -with aches, bone and muscle Rhus Tox 30C

Food poisoning

– – Arsenicum Album 30X

Fractures

– -hair line fractures, slow healing breaks Symphytum 30X
– -broken Eupatorium Perf 30C
– -aid in healing fractures, use in addition to any of the above remedies Calcium Phos 6X

Fright

– -Aconite 30X

Gall Stones

– -cell salt to use with chelidonium Calcium Phos 6X
– -Chelidonium 30C

Gas

– -bloating Carbo Veg 30C

GERD

– -Carbo Veg 200C

Grief

– -Ignatia 30X

Growing Pains

– – Calcarea Phos 6X

Gums

– -swollen Mercurius Vivus 30X

Hangover

– -Nux Vomica 30C

Hayfever

– – watery eyes Allium Cepa 30X
– -sneezing and itchy throat Hepar Sulphur 30X

Headache

– – band around head Aconite 30X
– -from sinus congestion Belladonna 30C
– -worse in the evening Bryonia Alba 30C
– – from fever, also from being in the sun Ferrum Phos 6X
– -stress headache Ignatia 30C
– – mental and eye strain Ruta Grav 30C
– -headache with nausea, morning sickness headache Veratrum Album 30C
– -Dull, heaviness, muscular soreness of shoulders Gelsemium 30C
– – frontal, splitting Nux Vomica 30C

Heartburn

– -all ages Carbo Veg 200C
– -with burping Argentum Nit 30C
– -over ate, different foods Nux Vomica 30X

Heat exhaustion

– -aching, headache Gelsemium 30X
– -clammy sweat Veratrum Album 30X

Heat prostration

– -collapse Veratrum Album 30C
– -sun collapse, cold Carbo Veg 30C

Hemorrhage

– – with burning Cantharis 30X
– -menstrual Ferrum Phos 6X
– -dental and nose bleeds Phosphorus 30X

Hemorrhoids

– -itching and swollen Hamamelis 30C
– -burning Sulphur 30C

Hiccough

– -hiccup and vomiting Ignatia 30X

Hives

– -itching, redness, swelling Apis Mell 30X
– – tendency to have hives Rhus Tox 30X

Hoarseness

– -beginning of laryngitis Allium Cepa 30X
– -feels like somethings caught in the throat Hepar Sulphur 30X
– -with coughing Ipecac 30X
– -suddenly loses voice Phosphorus 30C
– -with chest congestion Antimonium Tart 30X
– – laryngitis Argentum Met 30C
– -causticum 30C

Hysteria

– – Ignatia 30X

Illness

– -weak pulse Ferrum Phos 6X
– -gradual onset Gelsemium 30X
– -lingering Carbo Veg 30C
– -sudden aconite 30X

Impatient

– -men Nux Vomica 30C
– -refuses after receiving request Chamomilla 30X

Indigestion

– -burning in esophagus Cantharis 30X
– -also may have heartburn and stomach bloating Carbo Veg 30X
– -with burping, bloating a few hours after eating Nux Vomica 30X
– -from eating food not use to Phosphorus 30X
– -in children Pulsatilla 30X

Infection

– -dental Hepar Sulphur 30C

Inflammation

– – all stages of inflammation Ferrum Phos 6X

Injury

– -bones Ruta Grav 30X
– -eye, nerve, tailbone Hypericum 30X
– -falls, general injury Arnica 30X

Insect bite

– -Apis Mellifica 30X
– – topicalApis Mell 20 grams
– -Rhus Tox 30X

Insomnia

– -from worry, griefIgnatia 30X
– – insomnia at 3 am Nux Vomica 30X
– -Pulsatilla 30X
– -Passiflora 30X
– -desire to Antimonium Tart 30X
– -sleepless Gelsemium 30C
– –sleeplessness Ferrum Phos 6X
– -sleepy, cannot sleep Belladonna 30X

Irritability

– -Bryonia Alba 30C
– – children Chamomilla 30X
– -Type A personality Nux Vomica 30C

Itching

– -Apis Mell 30C

Kidney

– –kidney stones Berberis Vulg 30C

Laryngitis

– – see hoarseness above

Leg cramps

– -Magnesia Phos 6X

Light

– -aversion to Arsenicum Album 30C

Liver

– – Lycopodium 30C

Measles

– -Byronia 30X

Menstrual Complaints

– -cramps, nervousness Magnesia Phos 6X
– -cramps with nausea Veratrum Album 30X

Moodiness

– – Aurum Met 30C to even out moods, lighten stress and brighten outlook
– -changeable Pulsatilla 30C

Muscle spasms

– -Magnesia Phos 6X

Muscles

– – sore Rhus Tox 30C

Nasal discharge

– -Allium Cepa 30X

Nausea

– -Carbo Veg 30X
– – Ipecac 30X
– -Nux Vomica 30C
– – Phosphorus 30X
– -Sulphur 30C
– -Veratrum Album 30X

Nerve Pain from Illness or Injury

– – Hypericum 30X

Nervousness

– – Nerve Tonic
– -Gelsemium 30C

Night sweats

– – Phosphorus 30C

Nosebleed

– -Ferrum Phos 30X
– -Arnica 30X
– -Phosphorus 30C

Open air

– – craves Pulsatilla 30C

Overexertion

– -Arnica 30X

Oversensitivity

– -to noise, light, music Nux Vomica 30C

Pain

– – aching, arthritic Bryonia Alba 30C
– -arthritic Rhus Tox 30C
– -abdominal, cuttingIpecac 30X
– – burning, sticking pain Apis Mell 30C
– -burning Cantharis 30X
– -bursting, frantic from pain Aconite 30C
– -cramping Belladonna 30C
– -intolerance to Chamomilla 30C
– – joint and bone Calcarea Phos 6X
– -postoperative Hypericum 30C
– -sticking pain Hepar Sulphur 30C
– -stomach pain Phosphorus 30C
– -throbbing pain Ferrum Phos 6X
– -urination painful Mercurius Vivus 30X

Poison ivy

– – Rhus Tox 30X

PMS

– – premenstral symptoms Magnesium Phos 6X
– – Veratrum Album 30X
– – Pulsatilla 30C
– – Sepia 30C

Puncture wounds

– -Hypericum 30X
– -Ledum 30X
– -Calendula 13.5 oz
– -Calendula 3.5 oz

Pupils dilated

– -Belladonna 30C

Red

– -face Belladonna 30C
– -skin Apis Mell 30X

Restless

– – Aconite 30X
– -Arsenicum Album 30C
– -Belladonna 30X
– -Ferrum Phos 6X
– -Rhus Tox 30C

Scalds

– – burns Cantharis 30X

Sinus

– -Kali Mur 6X
– -Nat Mur 200C
– -Silicea 6X
– -Sinus

Shingles

– -Rhus Tox 30C
– -Magnesium Phos 6X

Shock

– -Arnica 30X
– -to muscles, sprains, bruised bones Ruta Grav 30C
– -collapse Aconite 30C
– –Rescue Remedy 20ml

Skin

– -hot dry skin Belladonna 30C
– -scaly, unhealthy Sulphur 30C
– – Graphites 30C

Sleep

– -see insomnia above

Sneezing

– – Aconite 30X
– – Allium 30X

Sore

– -muscles Rhus Tox 30X
– -sore muscles Arnica 30C

Sore Throat

– -Aconite 30C
– -Allium Cepa 30C
– -Arsenicum Album 30C
– -Belladonna 30C
– -Ferrum Phos 6X
– -Gelsemium 30C
– -Hepar Sulphur 30C
– – Mercurius Vivus 30C
– -Nux Vomica 30C
– -Spongia Tosta 30C

Splinters

– – Hypericum 30X

Sprains

– -worse on initial motion Rhus Tox 30X
– -ligaments Ruta Grav 30X
– -ankle, cold, swollen Ledum 30X

Stage Fright

– -Gelsemium 30C

Stiffness

– -Bryonia 30C
– -Rhus Tox 30C

Stings

– -Cantharis30X
– -Ledum 30C

Stomach

– -stomachache Bryonia 30X

Stool

– – loose Phosphorus 30X
– -offensive Arsenicum Album 30X
– -changeable Sulphur 30X
– -slimy, green Chamomilla 30X
– -green Ipecac 30X
– -slimy Mercurius Vivus 30C

Strains

– – Rhus Tox 30C

Stress

– -Ignatia 30C

Styes

– – Staphysagria 30C
– -Apis Mell 30C

Sunburn

Cantharis 30X

Surgery

– -Aconite 30X
– -Arnica 30X
– -dental Hypericum 30X

Swallowing

– -difficulty Arsenicum Album 30X
– -swallowing difficulty Gelsemium 30C

Sweats

– -Calcarea Carb 30C

Swelling

– – Apis Mell 30C

Swollen glands

– -Mercurius Vivus 30C
– – Lymphomyosot

Tailbone

– – injury Hypericum 30C

Taste

– -sour Phosphorus 30X
– -lack of tasteZinc 30X

Teething

– – Calcarea Phos 6X
– -low tolerance to painChamomilla 30X

Temper

– -temper tantrums Chamomilla 30X

Tendon

– -injury Arnica 30X

Tendonitis

– – Ruta Grav 30C

Thirst

– -Aconite 30X
– -Bryonia 30X
– -unquenchable Cantharis 30X

Throat

– -dry Spongia Tosta 30C
– -sore Mercurius Vivus 30C

Tonsillitis

– – Mercurius Vivus 30X

Teeth

– -decay Hekla Lava 30C
– -tooth decay Mercurius Vivus 30C

Toothache

– -Belladonna 30C
– -Chamomilla 30X
– -Mercurius Vivus 30C
– -Ruta Grav 30C

Urinary

– -Weakness Apis Mell 30C
– -Cantharis 30X

Urinary Infection

– -Aconite 30C
– – Cantharis 30X
– – Mercurius Vivus 30C

Urination

– -burning, painful, urge to urninate frequently Mercurius Vivus 30C
– -painful, retention, scant urination Aconite 30C

Vision

– – blurred Gelsemium 30C
– – loss of Carbo Veg 30C
– – Eye combination for photophobia, ophthalmia (eye inflammation), conjunctivitis (pink eye) chalazion (tumor)

Vomiting

– -Arsenicum Album 30X
– -Veratrum Album 30C
– -Bryonia Alba 30X
– -Chamomilla 30X
– -Ipecac 30X
– -Nux Vomica 30C

Warts

– -childrenThuja 30X
– -Thuja 30C
– – for best results use Thuja ointment topically with internal Thuja

Weakness

– – Carbo Veg 30C
– – during fluGelsemium 30C
– -Mercurius Vivus 30C
– -Veratrum Album 30X

Weeping

– -Nat Mur 6X

Wheezing

– -Hepar Sulphur 30X
– – Ipecac 30X
– -Spongia Tosta 30X
– -Asthma

Wounds

– -bruising from bumps Ledum 30X
– -tendency to bruising Ledum 30C
– -puncture Hypericum 30X
– – pain, shock Arnica 30X

Safe, Effective Herbal and Homeopathic Remedies

Native Remedies is the market-leading brand of natural remedies specially formulated to offer a complete solution for holistic health and wellness.

With over 500,000 customers worldwide and more than 250 herbal remedies and homeopathic remedieswe’re confident that you’ll find the holistic health products you need.

Find out how our dual-modality approach to wellness can provide fast-acting symptomatic relief (homeopathic) plus improve body function for long-term holistic health (herbal), and discover the body’s innate sense of healing with tissue salts and flower essences.

Learn more about Native Remedies.
Why do we promote this?


Sourcehealthylbook.com

Tags: